Exercite (todos os dias) as capacidades de liderança

Exercite (todos os dias) as capacidades de liderança

Os líderes não se criam da noite para o dia. Há que praticar – mesmo não ocupando um cargo de liderança ou “a” posição que tanto ambiciona. Há quatro formas de o fazer e são diárias. 

Costuma sentir que está no fundo de uma longa cadeia hierárquica? Ou, por vezes, sente que não há recursos na sua empresa que o ajudem a desenvolver as competências de que precisa para evoluir? Não é o unico. De acordo com a pesquisa Global Millennials, citada pela Business Insider, a maioria dos jovens trabalhadores (dois terços) planeia deixar os seus cargos até 2020. E 71% daqueles que pretendem saltar do barco no espaço de dois anos tencionam fazê-lo porque sentem que não há suficientes recursos de desenvolvimento de liderança na organização onde se encontram. Embora estes dados sejam um indicador de que as empresas têm muito a melhorar, não haver uma clara oportunidade de evolução nem sempre é uma boa razão para sair de um emprego de que gosta. Há muitas formas de desenvolver as capacidades de liderança, mesmo que a sua empresa não tenha programas oficiais nesse sentido ou não vislumbre uma mudança de cargo tão cedo. Isto porque ser líder não se trata de ter o título de “chefe” – tem antes a ver com a melhoria contínua e em se tornar no tipo de pessoa que os outros aspiram ser.
Assim, e porque não deveria ter de deixar o seu emprego para ter a oportunidade de crescer, seguem-se quatro formas de criar essa oportunidade por si mesmo, independentemente de onde trabalha. 


1 - Conhecer a equipa

Os bons líderes conhecem os membros da sua equipa – os seus pontos fortes e fracos, ou como melhor se complementam. Não quer dizer que tenha de fazer cartões com informação sobre cada um; basta começar por ter conversas simples e seguir a partir daí.
Tire algum tempo para conhecer realmente a sua empresa, a história da mesma, os valores, o setor, bem como os departamentos e as pessoas que mantêm tudo em andamento, mesmo que os momentos que passa com os seus colegas nem sempre lhe saiam naturalmente. Pensa que o seu chefe chegou onde está sem primeiro pesquisar ou compreender o contexto do trabalho que desempenha? Se lhe parece complicado, arranje tempo na sua agenda para que tal aconteça, quer seja um almoço ou apenas um café com alguém que não conhece muito bem.


2 - Ajudar um colega

Há algum colega que ultimamente anda super ocupado ou stressado? Aproveite o seu tempo livre para o ajudar ou, se for possível, assumir algumas das tarefas dele. Independentemente do cargo que ocupar, convém manter a mentalidade de membro de equipa – o que significa reconhecer o valor de trabalhar em conjunto para atingir um objetivo comum.
É preciso ter muita maturidade para ser capaz de priorizar o que é mais importante e agir em consonância, mesmo que não beneficie de imediato. Se trabalhar de modo genuíno para ser um ponto de apoio ou orientação para os seus colegas vai acabar por aprender muito mais sobre comunicação, colaboração e confiança do que, por exemplo, ficar furioso por o seu trabalho não lhe permitir ir àquela conferência sobre liderança que tanto lhe interessava. E ainda tem o bónus de todos gostarem de si, porque uma ajuda extra é quase sempre apreciada.


3 - Ter iniciativa

Pode ir além do seu trabalho atual ao assumir mais responsabilidades no escritório. Quanto mais fizer mais vai aprender sobre a sua organização e o que a faz funcionar sem problemas. Se notar que falta algo na sua empresa, pode facilmente exercitar os seus músculos de gestão ao reconhecer as pequenas falhas e desenvolver planos para as eliminar; o que pode ser algo a longo prazo, como conceber um novo manual de formação ou impulsionar a motivação interna, ou algo no momento, como mostrar ao novo colega de outra equipa como funciona a impressora. Estes atos, grandes ou pequenos, mostram ao seu chefe que tem iniciativa. Mais: apoiar os colegas de trabalho ou mostrar a um novo funcionário como as coisas funcionam são formas de praticar a liderança, não importa qual a posição que ocupa.


4 - Pedir mais

Mas se, no final do dia, não sentir que está a crescer o suficiente na sua empresa, o seu primeiro impulso não deve ser deixar o seu trabalho. Claro que pode considerar procurar alternativas se não houver quaisquer oportunidades para melhorar. Mas tudo se pode resumir a algo tão simples como conversar com o seu chefe para agitar as coisas e aumentar as suas responsabilidades na empresa. Aqui o cerne é não ter a conversa num tom negativo: prepare-se, apresente ideias concretas sobre como pode trabalhar as suas capacidades de liderança. Pode, por exemplo, prontificar-se para liderar as reuniões da sua equipa, ou talvez sugerir ficar responsável pela orientação dos novos funcionários, ou, se preferir os bastidores, fazer a revisão dos antigos manuais de estilo. Quanto mais não seja, esta conversa é uma excelente maneira de falar por si – nunca ninguém resolveu um problema ao ignorá-lo. O mais provável é o seu chefe o respeitar pela sua dedicação à empresa e pelo entusiasmo em assumir mais responsabilidade. Desde que seja capaz de concluir o seu trabalho atual, há uma grande probabilidade de ter o aval do seu superior.

Basicamente, os líderes não surgem apenas porque outras pessoas os fizeram chegar onde chegaram. É preciso prática. E se for criativo vai dar com muitas oportunidades escondidas que o vão ajudar a fortalecer o seu músculo de liderança.

Fonte: The Muse

23-02-2017 


Portal da Liderança