Lidere como um Navy SEAL: com confiança e a projetar poder

Lidere como um Navy SEAL: com confiança e a projetar poder

Não tem de rastejar na lama enquanto tenta não se desfazer no arame farpado, saltar obstáculos incomensuráveis, ou ir para o terreno a meio da noite. Trata-se de superar os limites, sim, mas mentais, ao trabalhar quatro competências de forma simples.

“Os líderes não criam seguidores, criam mais líderes”
Tom Peters, guru de gestão

Por forma a fazer crescer as equipas de alto desempenho, Brent Gleeson tentou sempre, enquanto ex-Navy SEAL (divisão de elite da Marinha americana), aplicar no mundo dos negócios as lições de liderança que aprendeu nos treinos e testou no terreno. “No final de contas, qualquer que seja o ambiente, os líderes são eficazes ou ineficazes. Ou estão a conduzir a equipa em frente para cumprir a missão a que se propuseram ou estão aquém”, refere num artigo na Inc.com o também cofundador e CMO da Internet Marketing Inc. (agência líder em marketing digital nos EUA e que nos últimos quatro anos consta no ranking Inc. 500|5000 – empresas privadas com o ritmo de crescimento mais rápido).

O antigo operacional das forças de operações especiais da Marinha americana, que dá palestras sobre motivação e liderança, pretende assim “fornecer métodos simples para liderar com maior confiança e projetar poder”. E que assentam em quatro competências: linguagem corporal, autoridade, sinceridade e empatia. Como refere o executivo, para projetar uma aura de confiança e de poder tem primeiro de acreditar em si próprio e de usar os atributos pessoais em seu benefício. Há fatores importantes em cada uma destas características que exigem atenção e prática, a fim de manter a consistência. Mas assim que começar a praticar estes métodos os outros vão notar e seguir o exemplo, declara Brent Gleeson. 

Linguagem corporal
Ter uma excelente comunicação enquanto líder reside em apenas cerca de 7% das palavras que profere – a (grande) percentagem remanescente resume-se ao tom e linguagem corporal
. E é algo que pode ser praticado facilmente, assegura o antigo Navy SEAL. Quer esteja num evento de networking ou a dar o endereço da sua empresa, faça-o com confiança e firmeza. Mantenha as mãos fora dos bolsos. Tenha uma postura direita. Faça contacto visual com tantas pessoas quanto possível, independentemente da dimensão da audiência. Não esteja curvado ou de braços cruzados, por exemplo. Estar em boa forma física também é uma ótima maneira de manter níveis mais altos de energia e de entusiasmo, relembra Brent Gleeson. E, enquanto pratica de forma ativa para manter uma linguagem corporal positiva, está a aumentar a sua confiança para ficar em frente a uma plateia.

Autoridade
Construir e manter autoridade enquanto líder é mais fácil dizer do que fazer, considera o veterano, acrescentando que tudo o que o líder faz está sob escrutínio. Deve assim mostrar ter conhecimento e uma liderança forte, enquanto lidera pelo exemplo e vive orientado por valores, dentro e fora do “campo de batalha”. A autoridade, tal como a confiança, demora tempo a edificar e apenas uns breves momentos a mandar abaixo. Não ouvir a sua equipa, a fraca tomada de decisões, e o não prestar contas pode levar a um rápido despojar de qualquer tipo de autoridade que tenha. Assim, ao manter-se concentrado em realizar a missão, enquanto tira partido da força e da sabedoria dos elementos da sua equipa, está a garantir que evita as armadilhas que aniquilam a autoridade.

Sinceridade
Seja sempre sincero ao comunicar com os membros da sua equipa. A sinceridade e a consistência são as formas mais rápidas de construir a confiança numa equipa, diz Brent Gleeson. Ao mostrar falta de sinceridade pode parecer desonesto, mesmo que não tenha tido a intenção. Pense no que vai dizer ou escrever antes de o fazer. Faça a cada comunicação o “teste da sinceridade”. Alguns níveis de transparência fazem com que a sua equipa se sinta mais conectada, o que leva a uma maior autodisciplina, colaboração, perceção e ação coletiva no sentido de atingir objetivos comuns.

Empatia
Este é muitas vezes o aspeto mais difícil no exercício da liderança. Ficamos tão embrenhados nas muitas tarefas que temos de executar para garantir o sucesso da missão que nos esquecemos da equipa que está a levar as iniciativas para a frente. Por muito que gostemos de fingir que a vida profissional e a pessoal estão separadas, elas estão entrelaçadas, afirma o ex-Navy SEAL. Assim, tire tempo para conhecer todos os membros da sua equipa. Tente perceber o que os motiva, bem como o que diminui a capacidade de manterem o enfoque e a vontade de exercerem as suas funções. Mostrar empatia não é uma abordagem de liderança “fraca”. É antes crucial para a construção de relacionamentos reais com os elementos da sua equipa. Tal como a sinceridade, a empatia gera confiança – o fator mais importante para que qualquer equipa tenha sucesso e seja vencedora. Sem confiança, mais tarde ou mais cedo, todos os outros aspetos que levam ao sucesso acabam por se extinguir.
 

Nós temos a oportunidade de liderar em todos os aspetos das nossas vidas. Pelo que o veterano Navy SEAL sugere que pratique as quatro competências dentro e fora do escritório. Isto porque ao ser um líder melhor vai fazer com que aqueles que lidera sejam também melhores líderes. “Ser honesto e conhecedor enquanto mostra empatia para com os outros não só vai tornar a sua vida melhor como também a de quem o rodeia. Não tem o que saber”, conclui Brent Gleeson.

Fonte: Inc.com

26-07-2016


Portal da Liderança