Demonstre o que vale no trabalho

Demonstre o que vale no trabalho

Se a humildade e a sobre-entrega (executar as funções além do estipulado e do esperado) não estão a funcionar, pode sempre experimentar estes métodos.

Tem vindo a trabalhar arduamente, a cumprir e a ir mais além do que é exigido, e a oferecer-se para ajudar o seu chefe em todos os projetos que vão surgindo. Participa e pronuncia-se nas reuniões, faz um esforço para conhecer os colegas e nunca falhou um único prazo. Então, por que sente que não está a progredir grande coisa na carreira?

São várias as razões para que tal esteja a acontecer (algumas sobre as quais pode não ter muito controle), mas se as táticas habituais para se destacar não estiverem a funcionar, talvez esteja na altura de recorrer a medidas contraintuitivas, diz Anisa Purbasari Horton, num artigo na “Fast Company”. A autora, que escreve sobre desenvolvimento pessoal, empreendedorismo e o futuro do trabalho, aconselha a experimentar os métodos que se seguem para demonstrar o seu valor na empresa.

Aceitar o lado negativo
Pode ser a pessoa mais educada e profissional no seu local de trabalho, mas, às vezes, pura e simplesmente não se identifica com ninguém. Por alguma razão, parece que não há empatia, e só de pensar que tem de interagir com os colegas entra em stress.
Amy Newmark, editora-chefe e publisher na Chicken Soup for the Soul, declarou à “Fast Company” que nutrir sentimentos negativos em relação a outro funcionário o prejudica mais a si que a ele. Afinal, guardar rancor contra alguém exige muita energia que podemos empregar de outra forma em algo positivo. E se aprender a olhar de forma analítica para as suas interações com essa pessoa pode aprender a não levar as coisas para o lado pessoal, tão “a peito”. Não só esta é uma capacidade de liderança valiosa, como pode ajudar tremendamente em negociações, bem como em conversas de carácter mais sensível.

Desistir de tarefas
Tem vindo a fazer malabarismo com os vários projetos que tem a decorrer em simultâneo? Costuma dizer “sim” de forma entusiástica a todas as tarefas que lhe são entregues? Embora esta seja uma ótima maneira de demonstrar o seu compromisso e envolvimento quando inicia um novo trabalho, a dada altura assumir responsabilidades em demasia pode trazer retorno negativo. Como refere Dorie Clark, autora de “Entrepreneurial You: Monetize Your Expertise, Create Multiple Income Streams, and Thrive”, quanto mais assumimos menos tempo temos para nos concentrarmos nas tarefas críticas que podem realmente fazer-nos avançar na carreira.
Dorie Clark reconhece que pode ser difícil recusar trabalho – sobretudo se o seu chefe se tiver habituado a depender de si para fazer tudo o que é tarefas extra. No entanto recomenda que enquadre a situação no contexto do que é melhor para a organização. Pergunte aos seus superiores hierárquicos onde consideram que vale a pena despender a maior parte da sua energia, tendo em conta os objetivos e as prioridades da empresa. Esta é uma maneira de mostrar o compromisso para com a organização sem ter de trabalhar mais horas ou fazer coisas fora da descrição das suas funções.


Pensar como um membro da equipa em vez de como um funcionário

Por outro lado, se o seu enfoque tem sido exclusivamente a autopromoção, talvez queira mudar o foco para como pode ajudar a melhorar a sua equipa. Sim, isto significa partilhar o mérito/crédito com os restantes colegas, mas se tal conduzir a um resultado melhor para a organização, só pode beneficiá-lo enquanto colaborador. Além de que aprender como o seu trabalho se relaciona com a meta geral da empresa leva-o a ter ideias melhores.
Como afirmou a coach Anush Kostanyan à “Fast Company”, cada sucesso, cada conquista da organização é também sua. A prosperidade da empresa leva também à sua prosperidade pessoal. Assim que enraizar esta forma de pensar/mentalidade, vai começar a preocupar-se com cada detalhe e a dedicar todo o seu esforço a obter resultados profundos.

Gerir para cima
Quando as pessoas pensam em “gerir”, por norma imaginam numa pessoa a dar instruções a outra mais júnior. Mas é muito mais que isso – na verdade, se quer ter sucesso é crucial que se esforce por gerir o seu chefe. A autora e designer Ximena Vengochea afirmou à “Fast Company” que, por vezes, trabalhar de forma árdua não é suficiente para conseguir aquela promoção; tem de dizer ao seu superior hierárquico quais são os seus objetivos de carreira e ser proativo sobre como encontrar uma maneira de chegar lá. E rematou que “pedir o apoio do chefe não é o mesmo que ficar sentado e esperar que a coisa se dê. Afinal, é fácil esperar por aprovação. É muito mais difícil tomar a iniciativa. Mas quando é proativo costuma compensar, tanto para si como para o seu empregador”.

02-10-2018


Portal da Liderança