Particularidades da cultura asiática: Como trocar de cartões-de-visita

Particularidades da cultura asiática: Como trocar de cartões-de-visita

Tendo em conta que a economia da República Popular da China é a 2ª maior do mundo, com um PIB de 51,93 triliões de ienes (US$ 8,28 triliões) em 2012, é que cada vez mais frequente o desenvolvimento de negócios entre líderes lusófonos e organizações e líderes da cultura asiática.

Uma vez que se trata de uma cultura muito própria, há diversos cuidados que deverão ser tidos em conta, de modo a potenciar o sucesso da negociação.

Tendo em conta que em todos os primeiros encontros são trocados cartões-de-visita, quando o interlocutor pertence à cultura asiática, o líder deverá:

Entregar um cartão-de-visita:
  • Estar munido de cartões-de-visita bilíngues, com uma das faces em inglês, devendo neles constar o nome e cargo desempenhado na organização.
  • Entregar sempre um cartão sem qualquer vinco ou mancha. Os asiáticos acreditam que um cartão-de-visita é a representação da própria pessoa, pelo que deve revelar a imagem que pretendem que tenham de si mesmo, limpo, organizado e cuidado.
  • O cartão deve ser entregue com as duas mãos, de modo a mostrar ao seu interlocutor o maior respeito e consideração. Também poderá entregá-lo com a mão direita mas o gesto não será considerado com o mesmo grau de reconhecimento.
  • Ao entregar, o líder deverá estar de frente para o interlocutor e com a face do cartão em inglês para cima, olhando o interlocutor nos olhos.

Receber um cartão-de-visita:
  • Deverá receber o cartão com as duas mãos, de modo a mostrar ao seu interlocutor o maior respeito e consideração. Também poderá recebê-lo com a mão direita, mas o gesto não será visto da mesma forma.
  • Ao receber o cartão olhe seu interlocutor nos olhos.
  • Dedique tempo a ler o cartão e faça uma pergunta ou um comentário positivo sobre o mesmo.
  • Nunca escreva no cartão nem o perca. A cultura asiática interpreta todas as suas ações com o cartão deles como sendo feito a eles mesmos. Se escrever nele é como se estivesse a escrever na cara da pessoa. Se o perde e solicita um novo, vêem-no como não tendo dado a devida atenção, consideração e importância à sua pessoa.
  • Nunca dobre, danifique ou guarde o cartão junto com o dinheiro e/ou o guarde no bolso de trás e se sente. Guarde o cartão numa carteira própria para o efeito, que deverá colocar num bolso da frente do casaco ou, sendo uma senhora, na sua mala de mão.

Recomendações e alertas:
  • Como nos relembra Syndi Seid, reconhecida autoridade mundial sobre protocolo empresarial e boas maneiras, “nunca entregue ou receba um cartão-de-visita com a mão esquerda. Tal é considerado como um grande insulto na cultura muçulmana e em muitos outros países.”
  • As negociações são normalmente demoradas e discutidas aos mínimos detalhes. Tenha paciência, pois haverá momentos demorados de inatividade ou de silêncio.
  • A paciência, para os asiáticos é sinónimo de um caráter forte e de valor em qualquer negócio.
  • Na negociação com a cultura asiática, o contrato deve ser encarado como uma carta de intenções. O líder deverá estar atento a possíveis modificações.
  • Os asiáticos gostam mais de presentear do que de receber e costumam recusar duas ou três vezes antes de aceitar uma lembrança. Um presente para o grupo é normalmente bem aceite.
  • No início de uma relação de negócios, é aconselhável que os parceiros se tornem amigos, conversem sobre os seus hobbies e as suas famílias e, somente depois, comecem a falar de negócios.

Neste vídeo, Syndi Seid fala-nos sobre a cerimónia de troca de cartões-de-visita segundo a cultura asiática:

 


fatinha-portal-artigo1
Fátima Rodrigues é gestora do Portal da Liderança e editora de conteúdos da Leadership Business Consulting, tendo sido coordenadora editorial da área de business do grupo Almedina e lecionado na Congrégation Saint-Joseph de Cluny. Esteve ligada vários anos ao Conselho da Europa, onde exerceu funções de formadora do GERFEC em relações interculturais e interreligiosas em contexto corporativo e social. É fundadora e administradora geral do projeto online de fomento à leitura Segredo dos Livros.