Será que o líder está a asfixiar a criatividade da equipa?

Será que o líder está a asfixiar a criatividade da equipa?

Se pensa que a sua equipa não tem potencial para impulsionar a criatividade da empresa, olhe em redor: pode muito bem já ter no seu staff os inovadores, os “game changers” ou as superestrelas de que precisa. Já considerou que o problema pode estar no líder? É que, até sem perceber, pode estar a sufocar os ativos mais valiosos da organização.

Monique Craig

Atenção à recetividade de ideias
A empresa está perante um problema, e estão todos na sala de reuniões a tentar encontrar possíveis soluções. Está a apontá-las todas? Pois não tem de o fazer. Antes pelo contrário. Em vez de tomar nota das propostas, transforme-as em pequenas discussões/debates. Permita que todos possam explorar as possibilidades. Ao incentivar as pessoas a pensarem e argumentarem a favor ou contra uma decisão está a estimular a criatividade, além de que lhe permite ver todos os ângulos de uma questão antes de se comprometer com uma escolha irreversível. Se alguém der uma sugestão, peça que explique/elabore.
Por outro lado, não seja demasiado rápido a rejeitar ideias. Se não vai querer aceitar de forma passiva tudo o que lhe apresentam, também não vai querer rejeitar tudo. A realidade é que provavelmente está muito habituado a fazer as coisas à sua maneira, o que pode criar um comportamento enviesado da sua parte. Ou seja, pode ser rápido a descartar ideias que não se encaixam na sua visão, e tal pode ter consequências no trabalho. Se alguém lhe apresentar uma ideia que lhe pareça fora de tudo, em vez de a ignorar, deve ouvir e fazer perguntas. Ninguém na equipa se sentirá à vontade para ir ter consigo com ideias brilhantes e inovadoras se pensar que as vai rejeitar de imediato.

Estão todos a fazer pausas suficientes?
Sabe qual é uma das formas infalíveis de matar a criatividade? Espetar com alguém em frente a um ecrã horas a fio e manter essa pessoa focada numa tarefa limitada. Certifique-se que todos têm espaço para respirar. Encoraje os seus funcionários a fazerem pausas ou caminhadas curtas no sentido de desanuviar. Todos têm necessidade de tirar 15 minutos aqui e ali para poderem limpar a mente, nem que seja junto à náquina do café – isto se quer que os colaboradores se sintam inspirados.

Cuidado para não sufocar
Se microgere cada movimento da equipa, se os sobrecarrega com trabalho, dificulta os dias de descanso ou coloca demasiada pressão na forma como quer que as coisas sejam feitas… tudo isto é sufocante. Se os colaboradores se sentem pressionados para seguir as suas diretrizes à risca, e se sentirem que não são nada mais que uma peça de engrenagem na sua máquina, nada de criativo vai germinar nas suas mentes. Afrouxe as rédeas um pouco. Permita que, por vezes, descubram as coisas por conta própria. Deixe-os sair mais cedo de vez em quando, e incentive-os a ter um dia extra de folga. Estará a estimular a criatividade, mas também o bem-estar e liberdade.

A comunicação aberta estimula a criatividade
O líder precisa de manter as linhas de comunicação com os funcionários abertas. Eles precisam de saber que podem falar consigo sobre as questões que possam surgir no local de trabalho, ou até sobre diretrizes estabelecidas por si e com as quais não concordam ou gostam. Se for capaz de aceitar a crítica construtiva e de ceder, ficará surpreendido com quão longe a criatividade dos trabalhadores pode levar a empresa.

27-06-2017

Fonte: AllBusiness


Portal da Liderança


MoniqueCraig

Monique Craig, blogger australiana, é especialista em marketing. Trabalha na Oneflare, plataforma online que liga clientes a prestadores de serviços na Austrália.