6 Dicas para melhor investir em Espanha

6 Dicas para melhor investir em Espanha

Está a pensar em investir em Espanha? Quer saber o que quem lá opera aconselha para potenciar as boas decisões? Segundo o Económico, "a estratégia passa por conhecer bem o país vizinho e tratá-lo com proximidade", mas não é tudo.

  • Espanha não é homogénea

"O mercado espanhol não é um mercado único. "É muito diverso, com modas distintas no Norte face ao Sul", avisa Enrique Santos, presidente da Câmara do Comércio e Indústria Luso-Espanhola. A comunidade de Madrid "não é necessariamente a melhor" para investir, já que a região "que mais compra a Portugal é a Galiza", justifica. A proximidade geográfica pode ajudar a explicar o fenómeno, mas o segundo lugar na lista de clientes surpreende: a Catalunha. A comunidade de Madrid só aparece em terceiro lugar, logo seguida pela Andaluzia. Enrique Santos acrescenta que não devem ser desprezadas as relações transfronteiriças entre a Extremadura espanhola e o Alentejo, onde "já existem muitas interconexões"."

  • Escolher pessoal local

"Uma empresa portuguesa que queira ir para o mercado espanhol deve optar por contratar pessoal local, defende Enrique Santos. A vantagem é óbvia: ter trabalhadores residentes garante um conhecimento mais aprofundado sobre o mercado de destino do investimento. Perante um mercado repleto de diferenças em que cada uma das 17 comunidades tem hábitos diferentes ter pessoal local garante maior conhecimento do mercado."

  • Estrutura financeira adequada

"Quem quer investir em Espanha (ou em qualquer outro país) tem de ter uma estrutura financeira adequada. No entanto, há uma vantagem da qual as empresas portuguesas beneficiam no que diz respeito ao país vizinho: "não é preciso efetuar a deslocação da unidade de produção". Uma vantagem que pode aligeirar muito os custos da internacionalização faz notar o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola."

  • Relacionar-se bem com as associações

"As empresas portuguesas que queiram ir para Espanha devem privilegiar os contactos com as associações. A AICEP e a ICEX (as agências que apoiam as empresas na hora de investir e exportar) são parceiros fundamentais. A AICEP, por exemplo, fez recentemente um ‘roadshow' em diversas comunidades autónomas."

  • Estudar bem o mercado

"Saber quem compra e o que compra é decisivo para definir uma aposta segura no mercado espanhol. Ainda para mais quando no último ano se alterou o perfil do tipo de produtos que Espanha compra a Portugal.

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria Luso Espanhola revela que, habitualmente, Portugal exporta para Espanha mais de 800 milhões de euros em confeção, mas que, nos primeiros nove meses deste ano, as exportações de combustíveis e óleos minerais superaram os 800 milhões de euros. No ranking dos produtos mais vendidos, os combustíveis e óleos minerais "passaram de décimo para primeiro lugar". Uma informação que interessa a quem quer vender ou ir para Espanha."

Conselhos de Nuno Carvalho, cofundador e managing partner da Bluegrana Investment Group, aos líderes lusófonos que pretendem entrar no mercado espanhol.


Fonte: Económico