As piores desculpas que a liderança pode dar (são 9)

As piores desculpas que a liderança pode dar (são 9)

Os meandros da empresa podem ser um fator de stress até para um chefe com tudo sob controlo. Mas se a cultura é má, há que a corrigir – é esso o trabalho do líder.

Sem dúvida que ser chefe é o trabalho mais difícil que se pode ter (e pior ainda quando também é proprietário da empresa). Liderar pessoas é stressante, exigente, e muitas vezes demasiado, mas é também incrivelmente gratificante e recompensador – desde que faça todos os possíveis para realmente inspirar, servir e liderar. E isso significa evitar dar desculpas por não estar a dar o seu melhor. E vale tanto para líderes/responsáveis por departamentos, como para colaboradores. Seguem-se as frases que não se deve proferir. Nunca.

“Não preciso de agradecer às pessoas por fazerem o seu trabalho”
Mas devia. Elogiar os funcionários/colegas é a atitude a ter. E, do ponto de vista do desempenho, reconhecer reforça comportamentos positivos e faz com que seja muito mais provável esses mesmos comportamentos ocorrerem no futuro. Assim, o líder pode esperar que os colaboradores façam o trabalho deles, mas pode elogiá-los quando têm uma boa performance, porque esse é o trabalho dele.

“Estou sob muita pressão”
Claro que está. Junte-se ao clube da liderança. Cada chefe está preso no meio, com os funcionários, os clientes, fornecedores, investidores… Se as exigências parecem demasiadas e o afastam para muito longe da sua equipa, leve os seus colaboradores a envolverem-se mais nos seus projetos e responsabilidades. Eles ficam satisfeitos por ajudar, sobretudo se ganharem competências e exposição no processo.

“Não ganho o suficiente para lidar com isto”
Está certo. Os grandes líderes são cronicamente mal compensados e subvalorizados, o que provavelmente nunca vai mudar. Mas os grandes empregadores veem como fazendo parte do seu pacote de remuneração a satisfação que obtêm ao elogiar, desenvolver, fazer mentoring e ajudar os funcionários a alcançarem os seus objetivos. Se não vê as coisas desta forma, é melhor pensar se quer realmente estar à frente de um negócio/equipa, caso contrário vai sentir-se sempre insatisfeito.

“As pessoas trabalham melhor quando as deixo sozinhas”
Se é verdade, significa que o problema está em si. Os bons funcionários não precisam (ou querem) que lhes diga o que fazer, mas precisam de ouvir que estão a fazer um excelente trabalho – tal ajuda-os a aprender novas orientações ou estratégias. Todo gostamos de ter alguma atenção. Certifique-se apenas que a atenção que presta tem um impacto positivo.

“Eu não deveria ter de lidar com todas as politiquices/interesses/emoções”
Os meandros da empresa podem ser um fator de stress até para um empresário com tudo sob controlo. É assim. É a sua empresa. Se a cultura é má, corrija-a. Se a politiquice impede as pessoas de fazerem o seu trabalho ou terem o melhor desempenho, cabe ao líder retificar a situação. O trabalho do chefe é resolver todos os problemas que impedem os colaboradores de fazerem melhor. So tem de fazer o seu trabalho.

“Ela está a começar a brilhar demasiado”
O bom líder não tem receio de que os funcionários o ofusquem. O objetivo é ter trabalhadores que o ofusquem. Os grandes líderes cercam-se de talento excecional. É assim que se tornam grandes líderes. Quanto melhor for a equipa, e os indivíduos que compõem a equipa, melhor figura faz enquanto líder.

“Pareceu-me bom o suficiente...”
Forma os funcionários atirando-os para o fogo simplesmente porque foi assim que foi tratado em tempos? Sempre que sentir que algo lhe “pareceu bom o suficiente”, perceba que não é bom o suficiente para os seus trabalhadores. Determine qual a melhor maneira de dar formação e desenvolver os colaboradores, e em seguida faça acontecer. As más experiências que teve devem moldar uma abordagem mais positiva, em vez de servirem de modelo.

“Preciso passar algum tempo com os trabalhadores, pelo que vou conversar com a Maria”
Precisa de conhecer os funcionários a um nível pessoal, mas tende a pender para aqueles com os quais tem interesses comuns? Talvez isso aconteça, mas os colaboradores com os quais precisa de se ligar mais são muitas vezes aqueles com quem tem menos aspetos em comum. Cada trabalhador merece a sua atenção e respeito. Então interesse-se. Pergunte. Encontre um interesse em comum – mesmo que seja simplesmente tentar ajudar essa pessoa a alcançar os seus objetivos de carreira e pessoais. Quando o líder faz um esforço sincero, os funcionários tornam o processo mais fácil. Afinal de contas, apreciamos quando se interessam em nós.

“Não nos damos bem, então para quê perder o meu tempo?”
Poucas coisas são mais complicadas/embaraçosas que trabalhar, ou até mesmo apenas conversar, com funcionários/colegas que sentimos que não gostam de nós. Estenda a mão e desanuvie o ambiente. Diga algo como “João, penso que a nossa relação de trabalho não é tão positiva como poderia ser, estou certo que é por minha culpa. E quero torná-la melhor.” E deixe o João desabafar. Claro que pode não gostar de ouvir o que ele tem para dizer, mas, já que o fez, vai saber como tornar a situação melhor.

Afinal, melhorar as coisas é o trabalho do líder.

07-06-2017

Fonte: Ceo.com


Portal da Liderança