O estado de espírito da equipa está em baixo? Como gerir o negativismo na sua organização

O estado de espírito da equipa está em baixo? Como gerir o negativismo na sua organização

Sente que o estado de espírito da organização onde desenvolve a sua atividade está negativo, onde a crítica destrutiva impera e em que se vive uma onda geral de pessimismo? Como se dá a volta à situação?

Como gerir o negativismo na organização?

O negativismo é a persistência de um padrão de pessimismo instalado e é altamente contagioso, espalha-se pela organização de forma a afetar gravemente (como uma doença) a produtividade e a moral do grupo. Há que inverter o padrão de pensamento coletivo e a energia da organização.

Uma organização é como um ser vivo: tem uma mente e uma energia muito próprias, construídas pelo padrão de pensamento persistente e em que, tal como num ser vivo, vai afetando pouco a pouco o corpo e a saúde. Cada um de nós tem um motivo, num ou noutro momento, para estar mais negativo. Se reforçarmos esses pensamentos, acaba por se tornar um hábito e torna-se muito fácil entrar nesse estado de espírito constante. Cada vez é mais difícil de abandonar essa postura e a vida fica condicionada pelo pessimismo.

Que fazer, então? Ficam algumas sugestões:

  • Identifique as principais fontes de negativismo e trabalhe individualmente esse estado mental. O objetivo não deve ser penalizador, mas construtivo, uma vez que a penalização é uma forma de negativismo que vai reforçar a estrutura de pensamento individual e do grupo. Comunique isso mesmo às pessoas, revele as consequências, sempre que possível com resultados mensuráveis e concretos, do negativismo que se vive na organização.
  • Trabalhe individualmente cada pessoa identificada, no sentido de substituir os padrões de pensamento negativo por pensamentos positivos e otimistas. Perceba o que leva cada um a adotar um estado de negativismo permanente para substitui-lo por outro mais positivo.
  • Há que ser consistente na eliminação do negativismo. Crie desde logo regras de base para “proibir” comportamentos negativos e defina objetivos, limites e meios de monitorização que lhe permitam ir controlando e partilhando os resultados. Desenvolva estratégias de compensação e reforço dos comportamentos positivos.
  • Trabalhe o grupo, a equipa, no mesmo sentido. Use os meios de comunicação internos para reforçar esse trabalho, como, por exemplo, publicar piadas, histórias engraçadas ou informações positivas na intranet, ou numa newsletter. Rir em conjunto, divertir-se no tempo de trabalho também é importante, uma vez que é onde se passa mais tempo.
  • Prepare-se para a gestão da mudança e rodeie-se de pessoas positivas, otimistas e com características pessoais que lhes permitam influenciar os restantes membros da equipa. Numa mudança, vai encontrar sempre resistências. Muitas vezes, não são as pessoas individualmente consideradas que determinam o nível de resistência, mas a forma como a mudança é gerida pela organização e pelos seus líderes.


Em todo o processo, seja autêntico com as pessoas. Um líder também tem as suas vulnerabilidades, mas é seguido pela sua visão e pelos resultados que alcança.



Vera-AlemaoVera Alemão de Oliveira é licenciada em Gestão e Administração Pública na vertente de Recursos Humanos e pós-graduada em Estudos Europeus e Gestão. É fundadora e managind partner da Bisyantra. Ao longo da sua carreira, deu formações em Protocolo e Imagem, Relações Públicas, Inteligência Emocional, entre outros temas relacionados com competências comportamentais. Foi responsável pelo Departamento de Comunicação e Imagem de uma empresa de consultoria na área da Engenharia e teve responsabilidades na gestão de um Departamento de Recursos Humanos e de uma academia de formação na área da gestão e liderança.