Alexandre Soares dos Santos, o homem que criou o Pingo Doce: Um empresário de sucesso num país em crise

Alexandre Soares dos Santos, o homem que criou o Pingo Doce: Um empresário de sucesso num país em crise

Livro

TítuloAlexandre Soares dos Santos: Um empresário de sucesso num país em crise
Autor
: Filipe S. Fernandes
Edição: março, 2014
Páginas: 203
Editor: Matéria-Prima


Sinopse

Alexandre Soares dos Santos é uma figura incontornável do panorama empresarial português. Discreto mas determinado, tem sido presença regular no topo da lista dos homens mais ricos do país. É o líder a Jerónimo Martins, um gigante da distribuição, que não hesita em dizer o que pensa, em afrontar os poderes instalados quando considera ser necessário. Apesar de preferir o diálogo e o consenso, gosta de um bom conflito, de argumentar, mesmo que isso implique estar nas luzes da ribalta e dar azo a alguma polémica. 

Depois de 45 anos à frente de um grupo empresarial que hoje está presente em cários países, Alexandre Soares dos Santos passou recentemente o testemunho ao seu filho Pedro. Neste livro, o jornalista Filipe S. Fernandes faz uma análise sobre o percurso, a carreia e a estratégia de Alexandre Soares dos Santos. Revela a forma como geriu as vitórias e os fracassos da Jerónimo Martins ao longo de décadas, como enfrentou duas doenças graves e o impacto que isso teve junto da liderança do Grupo, e como preparou a sucessão numa empresa familiar, sempre com base na meritocracia.

Fique a conhecer melhor o homem que desafia chefes de Governo, que prefere não baixar os salários quando outros o fazem, e que está farto de ouvir chamar “gatunos” aos que têm iniciativa privada. Alguém que costuma tomar as grandes decisões sozinho, de manhã quando acorda, mas depois de ouvir quem o rodeia. 


Sobre o autor
 

Filipe-Sa-FernandesFilipe S. Fernandes é licenciado em Ciências da Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e iniciou a sua carreira de jornalista em 1985 no jornal Semanário. Em 1988 integrou a equipa fundadora da revista de negócios Exame, e, três anos depois, fez parte do grupo de criadores da revista Fortuna, depois Fortunas & Negócios. Entre 2000 e 2012 foi editor do Diário Económico e do Jornal de Negócios e director-adjunto da Exame. É autor de vários livros.


Opinião da Liderança
 
"Eu não quero ser mais um. Eu quero ser um.” – Alexandre Soares dos Santos
 
Alexandre Soares dos Santos quase dispensa apresentações. Liderou o Grupo Jerónimo Martins por mais de quatro décadas e fez dele um império, contando hoje com marcas como o Pingo Doce e o Recheio em Portugal, a Biedronka na Polónia e a Ara na Colômbia, tendo passado o testemunho da empresa de raiz familiar aos 73 anos para o seu filho Pedro Soares dos Santos.
 
Há 25 anos, a Jerónimo Martins tinha 4183 funcionários em Portugal. Hoje são mais de 75 mil colaboradores distribuídos por Portugal, Polónia e Colômbia.

Há 25 anos, tinha 35 lojas em Portugal. Hoje aproxima-se rapidamente das 3 mil; aliás, na Polónia, o objetivo para 2015 é chegar a este valor.

Há 25 anos, as vendas eram de 250 milhões de euros. Em 2013 atingiu os 11,8 mil milhões.
 
Este livro irá explicar-lhe como Alexandre Soares dos Santos alcançou estes resultados com as suas ideias, determinação, erros e fracassos, certezas, dúvidas e convicções e investimento do seu dinheiro. Conta-lhe ainda como o líder preparou a sua sucessão e a passou para a quarta geração à frente do grupo. 
 
Como refere, "dentro de 10 anos, se eu ainda cá estiver, dizem-me o que pensam do meu filho Pedro. Ele é absolutamente excecional. A renovação de uma companhia é fundamental, é sangue novo que se traz para dentro. Porque tipos da minha idade são refratários à mudança."
 
"Os portugueses são comerciantes por tradição, têm apetência por ganhos imediatos, mas as atuais empresas portuguesas têm de perceber que têm de perder para ganhar depois. (...) É necessária uma reforma da mentalidade do empresário português típico, que quase sempre é securitário em relação ao investimento e não quer correr riscos, mesmo tratando-se de uma boa aposta."

Índice:
 
I Parte
Cap. I: O homem e o empresário
Cap. II: As polémicas e os portugueses
 
II Parte
Cap. I: A criação da Jerónimo Martins
Cap. II: Como os Santos chegaram à Jerónimo Martins
Cap. III: Alexandre Soares dos Santos muda a Jerónimo Martins
Cap. IV: O nascimento do gigante
Cap. V: A internacionalização quase perfeita (1995 - 1998)
Cap. VI: A crise e a doença depois das aquisições (1999 - 2002)
Cap. VII: As lições da crise e o início da sucessão
Cap. VIII: A criação da Fundação e a passagem de testemunho (2009 - 2013)