Mantenha o entusiasmo enquanto procura novo emprego

Mantenha o entusiasmo enquanto procura novo emprego

Deixar o atual trabalho por outra alternativa numa nota positiva significa garantir que, nas semanas antes (ou meses), deixou a melhor impressão possível, e que sai em alta.

O seu emprego já não lhe “enche as medidas”, pelo que vai avançar para a procura de alternativas. Mas, até o conseguir, tem de manter o atual trabalho. A “procura de outro emprego tira energia ao que está a fazer no momento”, diz Nancy Harris, coach executiva e fundadora da americana ReStart Consulting. Embora possa ser tentador “lavar as mãos” da posição corrente enquanto procura “pastos mais verdes”, ao fazê-lo provavelmente só vai deixar um “gosto amargo na boca” do atual empregador. Assim, “até ter a oferta de emprego garantida, precisa de se comprometer com o trabalho que tem”, afirma a executiva.
Mas como manter a motivação? Siga as seis dicas que se seguem para permanecer focado enquanto procura um novo emprego.

Manter uma atitude positiva
Procure algo no trabalho atual de que ainda gosta e tente passar o máximo de tempo que conseguir a fazê-lo até que surja a próxima grande oportunidade. A perspetiva positiva pode vir das excelentes pessoas com quem trabalha. “Talvez o emprego seja terrível, mas há dois ou três colegas com os quais mantém amizade”, por exemplo, considera Nancy Harris. Ao focar-se nos aspetos positivos do seu trabalho – em vez de em quão mau é o seu chefe ou o quanto odeia assistir a reuniões matinais diárias – ajuda a manter uma atitude positiva enquanto permanece nas funções atuais.

Escolher o que faz
Se se pode dar ao luxo de escolher as tarefas que realiza, diga não às que o desmotivam e procure os projetos que o entusiasmam. Enquanto se certifica que está a executar o trabalho que foi contratado para fazer, peça para passar mais tempo num projeto que é interessante, ou para fazer um curso que vai potenciar as suas competências numa área específica e ajudá-lo a ser bem-sucedido no futuro – esta pode ser uma boa maneira de garantir que os seus últimos tempos na organização são recompensadores.

Viver o momento
Ao realizar as tarefas que abomina diga para si mesmo “é a última vez que vou ter de fazer isto”. Ao afirmar que é a última vez pode ajudar a apreciar a tarefa em vez de simplesmente a executar a correr para acabar o mais rápido possível. Saber que em breve vai seguir em frente pode ajudá-lo a ser mais consciente do trabalho que está a realizar e motivá-lo a fazê-lo bem para que saia numa nota positiva.

Mostrar ética de trabalho
O seu chefe e colegas vão lembrar-se dos seus últimos momentos em funções. Não vai querer que sejam uma amostra do seu pior comportamento – desmotivado, com prazos por cumprir, um trabalho mal feito e desinteressado. Nancy Harris refere que alguns dos melhores trabalhadores que saem num tom positivo surpreendem todos à sua volta quando dizem que estão a seguir em frente porque se mantiveram fiéis aos valores de uma boa ética de trabalho até ao fim. “As pessoas vão lembrar-se da coisa mais recente”. Pense na impressão que quer deixar quando sair da organização e tenha um desempenho em consonância, mesmo que a sua mente esteja noutro lugar.

Sair antes que seja tarde
No sentido de garantir que deixa o atual emprego de forma positiva, pode querer considerar sair antes de não ser capaz de estar à altura do desempenho que tinha no início do seu percurso na empresa. “Se não consegue comprometer-se com o trabalho do modo que deve ser feito, se de manhã mal consegue tirar o pijama e colocar a roupa de trabalho, o melhor é arrumar a sua secretária e sair antes de encontrar o próximo desafio, se tiver folga financeira para tal”, declara Nancy Harris. Isto porque a última coisa que quer é ser convidado a sair antes de estar pronto.

Fazer um plano de transição
Se pensar em como as suas responsabilidades serão divididas após a sua saída e delinear um plano para expor ao seu chefe quando apresentar a sua demissão, também estará a sair em alta: mostra que ainda se preocupa com a empresa e com os seus colegas, mesmo que já não esteja a trabalhar lá.

04-07-2017

Fonte: Fast Company


Portal da Liderança