O hábito mais simples para ter sucesso? Auto-conversas

O hábito mais simples para ter sucesso? Auto-conversas

Esta é uma prática que podemos implementar com facilidade, dado que envolve técnicas de competências psicológicas e manter conversas com… nós próprios, de acordo com pesquisa recente.

Um estudo sugere que pode haver uma maneira muito simples de aumentar o nível de desempenho: basta manter uma conversa positiva de nós para nós. Na investigação, publicada na Frontiers in Psychology, o professor britânico Andrew Lane e os colegas testaram quais as capacidades que ajudam a melhorar a pontuação, ao analisar a forma como diferentes técnicas psicológicas afetam o sucesso durante a reprodução de um sistema de jogos online. O estudo permitiu aferir se um método inspirador é mais eficaz na realização de uma tarefa.

A pesquisa contou com mais de 44.700 voluntários, dos 16 aos 92 anos de idade, recrutados para o projeto através do site BBC Lab UK. Os participantes foram instruídos a usar uma de três intervenções psicológicas de competências, ou maneiras de abordarem mentalmente uma tarefa.

A primeira intervenção consistiu em usar a imaginação, por outras palavras, os voluntários foram instruídos a imaginarem a ser bem-sucedidos numa dada situação. Na segunda os participantes foram instruídos a terem uma auto-conversa positiva, i.e., a dizerem a si mesmos que eram capazes de ter um alto desempenho. O terceiro método de intervenção de competências psicológicas era constituído pelo plano “e se”, em que os voluntários foram orientados a planear como alcançar um resultado.

Em seguida as abordagens foram testadas em quatro aspetos de desempenho: processo, resultado, excitação-controlo (como controlavam as emoções) e instrução (como passavam pelo processo).

A equipa de pesquisa concluiu que as grandes melhorias em termos de desempenho ocorreram quando os participantes usaram o método de auto-conversa positiva, dizendo a si próprios “eu posso bater a minha melhor pontuação da próxima vez”. A melhor estratégia a seguir foi aquela em que os voluntários disseram a si mesmos que poderiam “reagir mais depressa desta vez”. O desfecho-imagético (imaginar-se a fazer melhor que na última vez) e o processo de visualização (imaginar-se a reagir mais rápido que da última vez) foram as melhores opções a seguir. Em último lugar ficou o planeamento “e se”, que os investigadores consideraram não fazer diferença significativa no desempenho.

Os investigadores também chegaram à conclusão de que um curto vídeo de motivação pode melhorar o desempenho: os participantes assistiram a um antes de jogar. O coach nos vídeos era nada menos que o atleta Michael Johnson, nove vezes campeão do mundo em atletismo e vencedor de quatro medalhas de ouro olímpicas, e conhecido por defender que o treino físico deve ser acompanhado por preparação mental.

Assim, e tendo em conta a próxima vez que algo parecer um pouco difícil de superar, nada como ter uma auto-conversa positiva e acreditar que consegue realizar a tarefa.

03-04-2017


Armanda Alexandre/Portal da Liderança