Carvão – de combustível fóssil a mero fóssil?

Carvão – de combustível fóssil a mero fóssil?

A procura de carvão tem vindo a diminuir, o que levou ao colapso dos preços.

Tendo os EUA como exemplo, há pouco mais de uma década este combustível fóssil gerava acima de 50% da eletricidade em solo americano. Barato e passível de se encontrar em quase todos os locais, é também extremamente fácil de escalar – é preciso mais energia, queima-se simplesmente mais carvão.

No entanto o declínio do carvão foi rápido e sem precedentes. Espera-se que, em 2020, apenas 22% da eletricidade seja gerada a partir de combustíveis fósseis. Além da pressão ambiental, o inimigo n.º 1 do carvão é o fraturamento hidráulico e a perfuração horizontal. Estas duas tecnologias levaram ao incremento no fornecimento de gás natural, e fizeram dos EUA o maior produtor de gás natural do globo.  

Em 2016 o gás natural ultrapassou, pela primeira vez, o carvão na geração de energia no mercado americano. Dados oficiais apontam que o gás natural e o carvão representem 33 e 32%, respetivamente, do mix de energia este ano.

Fonte: Visual Capitalist

05-07-2016 


Portal da Liderança