As CEO recebem mais que os seus pares?

As CEO recebem mais que os seus pares?

Já todos ouvimos falar ou lemos sobre a disparidade salarial, em que as mulheres recebem menos que os homens pelo mesmo trabalho. Mas, e quando se chega ao cimo da hierarquia? O panorama muda? 

A Equilar, que analisou as políticas de remuneração em empresas líderes nos EUA, chegou à conclusão de que há uma posição em que as executivas acabam por ganhar mais que os seus pares – no topo. Em 2015 as mulheres que estavam na liderança das 100 maiores empresas em termos de receitas auferiram, em média, 22,7 milhões de dólares (cerca de 20,5 milhões de euros), comparando com os 14,9 milhões de dólares (13,5 milhões de euros) dos CEO do sexo masculino. Há no entanto uma ressalva importante: das 100 pessoas na lista apenas oito são mulheres. O que de alguma forma explica a diferença de remuneração: com o reduzido número de mulheres no grupo, qualquer rácio acaba por ficar distorcido, especialmente pressionado pelos maiores pacotes salariais. 

O que nos leva à diferença em termos de representação. De acordo com pesquisa da Catalyst (organização sem fins lucrativos que monitoriza o progresso rumo à paridade de género no local de trabalho), há apenas 21 CEO no feminino nas companhias S&P 500. Cenário que não irá mudar tão cedo. Um estudo da PwC conclui que, em 2015, menos de 3% dos novos CEO eram mulheres

Fontes: Equilar, Catalyst, PwC, Fórum Mundial Económico

13-07-2016 


Portal da Liderança