Fortunas estão a mudar de mãos e de hemisfério

Fortunas estão a mudar de mãos e de hemisfério

A Fortune Global 500 deste ano mostra uma mudança em curso no cenário de negócios no globo, com a hegemonia americana a ameaçar deslocalizar-se para paragens mais… asiáticas. O crescimento dos negócios chineses é a característica mais marcante da Fortune Global 500 2016, em que acima de 100 das maiores empresas do mundo estão sediadas na China. Apenas os EUA têm mais nomes na lista (que classifica as companhias pelas suas receitas). 

Embora o Walmart mantenha o lugar no topo da lista, a energética chinesa State Grid saltou do 7.º lugar em 2015 para o 2.º este ano, a que se seguem os gigantes do petróleo China National Petroleum Corp e o grupo Sinopec, no 3.º e 4.º lugares, respetivamente. A europeia Royal Dutch Shell conclui o top cinco. 

A China ter conseguido três dos cinco melhores lugares no ranking representa um sucesso impressionante para o país. Das 13 empresas chinesas que se estreiam na lista em 2016 três são construtoras: a China Vanke Co, o Dalian Wanda Group e o Evergrande Real Estate Group, e que beneficiaram com a recuperação do mercado imobiliário em solo chinês no ano passado, após Pequim ter abrandado as restrições quanto à aquisição de casa.

De referir que o Walmart domina a Fortune Global 500 há duas décadas. O gigante de retalho dos EUA emprega 2,3 milhões de pessoas e gera, por ano, um lucro de 14,9 biliões de dólares (cerca de 13,6 mil milhões de euros).

Fontes: Fortune e Global Agenda

26-07-2016


Portal da Liderança