Quais os unicórnios fintech que valem mais – os dos EUA ou os da China?

Quais os unicórnios fintech que valem mais – os dos EUA ou os da China?

O investimento em fintech (tecnológicas financeiras) quase duplicou em 2015, atingindo os 22,3 mil milhões de dólares (cerca de 19,9 mil milhões de euros). Mas, e apesar de terem sido concretizados 1.108 negócios nesta área, há apenas 27 empresas que podem autointitular-se de unicórnios (privadas e no valor de mais de 1 bilião de dólares). 

Os unicórnios fintech do globo somam um valor total de 138,9 mil milhões de dólares (123,7 mil milhões de euros). E são originários de apenas seis países: EUA, China, Suécia, Índia, Países Baixos e Reino Unido. Mais de metade (14) são americanos, dos quais nove são provenientes de Silicon Valley; a China tem oito; o Reino Unido dois; a Suécia, a Índia e a Holanda têm um cada.

Se os EUA podem afirmar que concentram o maior número, são os da China que têm mais valor. Os maiores quatro unicórnios fintech do planeta são chineses: a Ant Financial, com 60 mil milhões de dólares (53,4 mil milhões de euros), a Lufax, com 18,5 mil milhões de dólares (16,4 mil milhões de euros), a JD Finance, com 7 mil milhões (6,2 mil milhões de euros), e a Qufenqi, com 5,9 mil milhões de dólares (5,2 mil milhões de euros). Isto porque o mercado chinês tem mais de 500 milhões de utilizadores de smartphones, e é mais evoluído no que diz respeito a pagamentos e empréstimos P2P (person to person).

Fonte: Visual Capitalist

14-09-2016


Portal da Liderança