4 Lições de Liderança de Abraham Lincoln

4 Lições de Liderança de Abraham Lincoln

Stephanie Vozza relembra uma cena do filme de Steven Spielberg sobre Lincoln, em que Mary Rodd diz ao marido: “Ninguém é tão amado pelas pessoas como tu. Não percas esse poder.” O filme foca-se na abolição da 13ª emenda acerca da da escravatura, mas também nos dá uma visão sobre as  competências de liderança de Lincoln, sobre aquelas particularidades que o fizeram ser tão admirado.

Stephanie Vozza, colunista do Entrepreneur, relembra que, embora possa  não estar a liderar uma mudança radical no seu país, as quatro lições de liderança que destaca das deixadas pelo 16º presidente dos EUA sobre como liderar uma mudança revolucionária na sua empresa, são fundamentais a qualquer líder mundial.

1. Diga não ao “Yes Men”.

Vozza relembra que durante a guerra civil americana, Lincoln surpreende tudo e todos ao escolher para o seu gabinete uma equipa com os seus maiores opositores. Estes eram homens que ele considerava serem as mentes mais brilhantes do país e que não tinham medo de o desafiar e tomar posições contrárias à sua. Como nos diz, "sendo um homem com autoconfiança, Lincoln via com bons olhos as opiniões contrárias às suas, uma vez que geravam debates produtivos e a reflexão interior. Este facto acabou por ser uma importante tática durante a sua presidência."

Rick Lepsinger, president da OnPoint, concorda com esta posição de Lincoln: “Não contratem à vossa própria imagem”, diz-nos. “Sintam-se à vontade com o conflito e aprendam como gerir a diferença de forma produtiva.”

Segundo Lepsinge, "os líderes não devem deixar arrastar os conflitos mas sim trazê-los à tona o mais rapidamente possível". Este recomenda ainda que se evite o uso excessivo do poder, devendo antes procurar-se por pontos comuns e alternativas viáveis.



2. Seja decidido.

Vozza relembra que, "embora seja desejável ter mais do que uma opinião, os líderes eficazes sabem quando e como tomar as decisões." Embora os elementos gabinete de Lincoln tivessem podido ficar eternamente em argumentação, este foi capaz de saber quando já tinha toda a informação de que necessitava e ausentar-se para, na solidão, determinar qual a melhor medida a tomar e avançar nesse sentido sem hesitar.

"Os bons líderes clarificam os seus critérios de decisão", diz Lepsinger, referindo que as necessidades e os desejos devem ser usandos como um guia para comparar as opções existentes. “Avalie o risco de cada alternativa bem como os seus benefícios.”, diz-nos. “Estas práticas irão aumentar a certeza de que tomou a decisão certa e que realmente  é a que melhor relação apresenta entre o potencial risco e ganho.”



lincoln13. Procure inspiração em locais inesperados.

Vozza relembra-nos que Lincoln, enquanto membro do Congresso, estudou matemática de modo a potenciar o seu raciocínio. Vozza refere que no filme, "Lincoln partilha alguma da sua sabedoria com dois jovens funcionários na sala do telégrafo: “A primeira noção comum de Euclides é a de que: “As coisas que são idênticas entre si são iguais entre si.””

Lepsinger diz-nos que "os líderes são eternos aprendizes e devem procurar fora da sua área de negócio por ideias e formas de inovar."



4. Relacione-se com os outros a nível pessoal.

Vozza destaca que embora Lincoln fosse justo, também era conhecido pelas suas anedotas e histórias. "Era assim que quebrava o gelo e criava um campo comum. Lincoln também era acessível. Enquanto presidente dos EUA, mantinha regularmente umas determinadas horas para receber os cidadãos."

“Não é o quão inteligente é – fortes relações pessoais e um elevado nível de verdade são a base da eficácia na liderança”, diz Lepsinger. “[Os líderes eficazes] geram empatia, interessam-se pelos outros e estão atentos a pequenos pormenores nos outros.”


Fonte: Entrepreneur


stephanievozzaStephanie Vozza é autora premiada na área da liderança e editora com mais de 20 anos de experiência na área. É colunista do Entepreneur e colaboradora do American Profile. Trabalha com empresas como a General Motors, a General Electric,  Century 21 e a Sherwin-Williams.