8 Dicas para se tornar no Steve Jobs da sua empresa

8 Dicas para se tornar no Steve Jobs da sua empresa

E xistem milhões de empresários tecnológicos, mas só existiu um Steve Jobs. Quer permanecer um entre tantos outros ou quer sobressair? E a sua empresa?

stevejobs4Eric T. Wagner, fundador e CEO da Mighty Wise Media e colunista da Forbes, convida-nos a imaginar o seguinte: Você a correr atrás de uma nota de 500 euros que acabou de deixar cair. Apanhada pelo vento, andar cada vez mais depressa, evitando que a apanhe. Ah, e adivinhe? Não olhe agora, mas existem outros 99 empresários a correr atrás dela tal como você.

Como diz, “acabou de ter uma visão do que está a fazer como empresário. Você e 99 dos seus amigos mais chegados. Todos a fazerem, a agirem e a dizerem a mesma coisa”.

“É tempo de ser diferente. Ser como Steve Jobs. Ser único. Sobressair. E ver o seu mundo inteiro a mudar à medida que também você muda”, refere Wagner.

Então como fazemos isso neste mundo louco, onde não são apenas 99, mas mais uns 1000 a tentar apanhar a mesma nota de 500?

Ray Edwards, empresário, orador e autor de “Writing Riches”, tem tido a oportunidade de trabalhar com clientes importantes como os autores best-sellers da New York Times Tony Robbins, Jack Canfield e Mark Victor Hansen (criadores doChicken Soup for the Soul), Joel Comm (autor deTwitter PowereThe Adsense Code), bem como Armand Morin, Alex Mandossian, Jeff Walker, entre muitos outros.

Edwards indicou 8 dicas que se as aplicar à sua própria realidade de hoje...fariam, segundo este, toda a diferença.

  • Tem que ser você próprio e não ter medo disso.

Só existe um você. Aceite-o. Seja autêntico. Seja verdadeiro. Steve Jobs foi Steve Jobs. Decidiu ser ele próprio e não teve medo de quem era. Você tem que fazer o mesmo, e como só há um “você”, irá sobressair se for verdadeiro consigo próprio. 

Como o Edwards referiu “As pessoas estão à procura de sinais sobre com quem deverão fazer negócios. E os sinais mais claros são quando sabem quem você realmente é e o que defende. Howard Stern* é muito polarizador. Ou o adora ou o odeia. Não existe meio termo. Mas ele descobriu quem era e não tem problemas em dizê-lo. Portanto, tem que fazer o mesmo. Tem que sobressair ao ser quem é e a defender algo.

  • Ser você próprio atrai os clientes certos para a sua empresa e afasta os clientes problemáticos.

“Para sobressair é essencial afastar-se bem como à sua empresa do habitual. Ao ser você mesmo está a traçar uma linha clara. Steve Jobs fez isso de uma forma brilhante na Apple. Desde o início que se estabeleceu e à sua empresa como “anti-Microsoft”.

Edwards explica: “Quando consegue partilhar abertamente como é, irá descobrir que atrai as pessoas como você. E as pessoas que não são como você irão afastar-se naturalmente. Mas isso não importa porque você não vende para todos. E encorajo-o a começar a utilizar linguagem como “Bem não somos o certo para todos e eis o tipo de pessoas para quem somos certos...” Ao fazer isto, irá eliminar toda a dor na sua vida resultante de clientes problemáticos.” 

  • Você e o poder de síntese.

stevejobs7MP3 + Internet + Telemóvel

“Uma fórmula que vale biliões. Chama-lhe de iPhone. Outro produto original Steve Jobs. Mas espere. Jobs não inventou nem o MP3, nem a Internet, nem os serviços de chamadas. Não, o que ele fez chama-se “síntese”.

Edwards explicou isto desta forma: “Agarre em toda a informação e investigação que existe sobre algo. Sintetize essa informação de uma forma nova, filtre-a pelo seu ponto de vista único e depois apresente-a de uma forma como nunca foi apresentada. Acabou de criar algo que sobressaí. Jobs fez isto com praticamente tudo que introduziu no mercado.”  

  • Encontre o seu público ressonante ao criar uma fogueira.

“O que irá atrair mais atenção? Acender um fósforo único e utilizar a sua mão para o proteger do vento? Ou largar um fósforo num meio de um monte de paletas com 20 pés de altura encharcado em querosene? Sim, boa tentativa. Jobs foi perfeito na sua primeira execução da fogueira, com a introdução do agora clássico computador pessoal Macintosh de 1984.”

Edwards refere que “Tem que encontrar as pessoas e o público que ressoam consigo. E como é que encontra essas pessoas? Faça uma fogueira e elas sentir-se-ão atraídas por ela. Seja quem é e transmita a sua mensagem de todas as formas que conseguir. Pode construir uma tribo que irá segui-lo para todo o lado desde que seja autêntico. Se descobrirem que está a ser falso, acabou-se. Portanto, seja verdadeiro.”

  • Ainda que esta cresça, deve manter sempre a sua personalidade na empresa. É o seu bebé.

“Olhe para o sucesso incrível de Jobs e da Apple. A sua personalidade e a sua marca estão por todo o lado, mesmo depois de ter aumentado biliões em valor e milhares no número de colaboradores.

Como Edwards afirma, “Penso que a Apple não seria a empresa mais valiosa no mundo, se Jobs se tivesse retirado como a cara da empresa. Penso que para as empresas mais pequenas é realmente importante manter a personalidade. As pessoas irão resistir e até poderão chamar-lhe egomaníaco, mas você é que sabe porque criou a empresa. Você é o fundador e sabe qual é a sua visão. O meu conselho? Demonstre mais a sua personalidade.” Mas não deixe de ouvir os que o rodeiam e de rever a sua visão sempre que necessário.

  • É um mundo P2P.

“Mike Muhney, o CEO e co-fundador daVIPOrbit refere que, “Tanto o B2B como o B2C estão mortos. Agora é a era do P2P (pessoa para pessoa).” Ainda fico assustado quando trabalho com empresários e estes me dizem que o seu mercado-alvo são as “empresas médias”. Não. Você é um ser humano, os membros da sua equipa são seres humanos e os seus clientes são seres humanos. Pessoas para pessoas meu amigo.”  

“Edwards refere que “Existem pessoas inteligentes e bem-educadas que discordam veementemente comigo nisto, mas as pessoas não fazem negócios com corporações. Fazem sim negócios com outras pessoas. Posso fazer compras no Wal Mart porque tem o melhor preço, mas assim que surgir outro alguém com um melhor preço, a Wal Mart passará à história. Mas repare nos fãs da Apple. São fanáticos pela Apple porque a personalidade de Jobs está fundida na empresa e nos produtos.”

  • Tudo se torna automático porque os seus produtos e a sua marca são posteriormente vendidos pelos seus clientes.

Apple-fansGostaria de ter uma equipa de vendas, não remunerada, de 10.000 fanáticos a lançar os seus produtos? A Apple tem milhões.

“Assim que encontrar o seu público ressonante e estes estiverem atraídos para os seus produtos e serviços, a sua publicidade e o seu marketing tornam-se num mero processo”, refere Edwards. “O seu público irá começar a fazer o marketing por si. Embora a Apple tenha gasto muito dinheiro no marketing do iPhone, quem realmente o vendeu foram as pessoas ao dizerem “Tens que ter um. Olha para isto” às outras pessoas.”

  • Missão + Visão são os únicos pontos de partida.

“Qual pensa ser o seu propósito? E o da sua empresa? Se respondeu “fazer os investidores ricos”, então está completamente enganado. Saber qual a sua missão e ter uma visão são a base para lançar a sua nave espacial.”

Edwards conta a seguinte história: “A sua missão é o seu propósito. A sua visão é como a sua missão parece na vida real. Steve Jobs sabia, claramente, quem era e o que tinha para fazer. Tinha uma visão de como ia fazê-lo e o que vemos hoje na Apple é o resultado disso. Tenho pessoas a dizerem-me que esta coisa de missão e visão não funciona nas empresas. O Dr. Oz uma vez disse-me “Bem, eu lidero uma clínica. Este tipo de coisas não irá funcionar para mim”. Não concordo.”

Ideias Finais

“Sim, tem o poder para ser o Steve Jobs da sua empresa, portanto, por favor, pare de tentar ser como todos aqueles seus amigos a correrem atrás da mesma nota de 500. Decida-se agora a ser diferente. A ser você mesmo. A sobressair. E atrevo-me a dizer, assista a uma seção do mundo, o seu próprio pequeno nicho rentável, a criar um caminho diretamente até à sua porta.” 


*Howard Allan Stern é um locutor de rádio, humorista e escritor americano. Controverso e auto-proclamado "The King of All Media (O Rei de Todos os Média) ", é conhecido pelo seu humor escatológico, sexual e racial.

Fonte: Forbes

 


Eric T WagnerEric T. Wagner, fundador e CEO da Mighty Wise Media e colunista da Forbes, dedica-se ao empreendedorismo há mais de 30 anos, tendo originado até hoje 7 startups, 3 aquisições e 5 abandonos com sucesso, em áreas díspares como a nutrição desportiva e o estilo de vida, e não quer ficar por aqui.