10 Lições de liderança segundo John F. Kennedy

10 Lições de liderança segundo John F. Kennedy

John F. Kennedy, líder histórico americano, 35° presidente dos Estados Unidos, considerado uma das grandes personalidades do século XX e o segundo mais jovem presidente do país, foi assassinado em Dallas há 50 anos, a 22 de novembro de 1963.

JFK--1Durante o seu governo ocorreu a Invasão da Baía dos Porcos, a Crise dos mísseis de Cuba, a construção do Muro de Berlim, o início da corrida espacial, a consolidação do Movimento dos Direitos Civis nos Estados Unidos e os primeiros eventos da Guerra do Vietnam. 

Reconhecido como o segundo melhor presidente dos EUA, cabendo o primeiro a George Washington, John F. Kennedy deixou um legado que tem sido motivo de estudo e tema de publicação de muitos especialistas: a sua liderança.

O seu carisma e liderança única, com senso de humor e polémica quanto baste, reúne importantes lições de liderança para qualquer gestor.

Quais foram os princípios que inspiraram o estilo de liderança de JFK? Quais foram as suas chaves para o sucesso?

1.Sentido de Identidade
Orgulhoso de ser americano e de pertencer a uma das famílias mais polémicas do país, John F. Kennedy era a representação do filho amado e responsável.

Para um bom líder, sentir-se identificado com a organização, que faz parte desta, e partilhando a sua cultura organizacional, é fundamental para manter o alinhamento e o foco. Deste modo, as ambições profissionais do líder estarão de acordo com os objetivos produtivos da empresa.

2. Independência
O seu percurso político foi polémico desde o princípio. Este tinha consciência de que depender de um partido político o marcaria sem todo o seu percurso. Ao analisar os pontos negativos desta decisão, Kennedy decidiu autofinanciar a sua primeira campanha política. Esta manifestação de independência marcou-o como um personalidade política diferente do que a sociedade democrata americana estava habituada.

Um bom líder, ainda que alinhado com os objetivos da organização, deixará sempre a marca da sua personalidade e carisma, o que é fundamental à sua imagem.

JFK-33. Cautela
Para John F. Kennedy a formalidade era essencial. A sua figura pública cativou toda a nação graças, na sua maioria, a uma imprensa atordoada. Anos depois do seu falecimento, as turbulentas histórias da família presidencial vieram à tona. Porém, o poder e liderança que JFK havia deixado eram mais fortes do que as histórias anunciadas.

Um líder deve ser cauteloso com seus colaboradores, clientes, fornecedores e shareholders. Para um bom líder, a vida profissional deve estar acima da vida pessoal quando se trata dos negócios. É importante separar estas duas personalidades sem deixar de ser humano.

4. Comunicação
A capacidade de comunicação de JFK é apontada por muitos como o fator decisivo para que tenha chegado à Casa Branca. O debate presidencial antes das eleições foi fundamental para criar empatia com o eleitorado. De acordo com Soriano, a sua capacidade oratória e de comunicação não-verbal (olhava diretamente a câmara com energia e confiança) derrotaram o seu oponente, Nixon.

Numa empresa, a comunicação é fundamental. O feedback constante e efetivo deve existir em todas as frentes. Desta forma, a visão da organização será transmitida a todos os seus integrantes.

5. Trabalho em equipa
”Um homem só é inteligente quando se rodeia de pessoas mais inteligentes que ele”, comentou Kennedy num dado momento da sua vida política. Para este, rodear-se de pessoas bem preparadas era fundamental para conseguir encontrar a solução dos problemas.

Numa organização, a constante preparação dos seus colaboradores assegura o sucesso da empresa. Para especialistas em temas de recursos humanos, o trabalho em equipa é fundamental para se conseguirem tomar de decisões acertadas.

6. Preparação
O trigésimo quinto presidente dos Estados Unidos era reconhecido pelos seus amplos conhecimentos, pela sua capacidade de aprender e pela sua postura elegante. Era uma pessoa que se informava previamente e que sabia o que dizer no momento adequado.

Para a formação de um bom líder, a preparação contínua é fundamental. Saber o que se passa dentro e fora da sua empresa tornará possível obter imensas vantagens competitivas em termos de mercado.

kennedy7. Inovação
Simplesmente, sem Kennedy o homem não teria chegado à Lua. Desde o início do seu mandato que a ideia de criar uma potência tecnológica que ultrapassasse a Rússia (país pioneiro na pesquisa científica de tecnologia espacial na época) dominava a sua mente.

“Primeiro, acredito que esta Nação deve assumir a meta de que o homem vá a Lua e volte a salvo para a Terra antes do fim desta década. Nenhum outro projeto individual será tão impressionante para a humanidade nem mais importante do que as viagens de longo alcance pelo espaço; e nenhum será tão difícil e tão caro de conseguir”.

Hoje, a inovação é a chave para que uma empresa sobressaia. Pode ter grandes expetativas de mercado, mas se contar com a inovação como diferencial, o sucesso estará garantido.

8. Serenidade
Há apenas três anos no poder, Kennedy colocou na mesa temas que nenhum outro presidente havia tocado até esse momento e passou por situações de tensão militar extremas. O perigo de desencadear uma guerra nuclear durante a crise dos mísseis trouxe à tona a sua coragem para gerir situações extremas.

Numa empresa, a serenidade dos seus líderes gera confiança e tranquilidade nos seus colaboradores e isso traduz-se em compromisso e produtividade apensar das adversidades.

9. Sentido de humor
“Não cabemos todos no refúgio da Casa Branca, por isso temos que conseguir uma solução entre todos”, comentou durante uma reunião no seu gabinete para falar sobre a crise dos mísseis.

Muitos especialistas asseguram que tudo depende da personalidade da pessoa, porém, o carisma também pode ser desenvolvido e alcançado. Para os líderes das organizações, ambas são fundamentais no identificar-se com as pessoas.

JFK-210. Humildade
Segundo diversos autores, esta caraterística foi fundamental para construir a imagem que é até hoje uma das suas marcas. A sua simplicidade para com os média e o seu relacionamento com as pessoas fizeram dele uma lenda.

Para um líder, a humildade é uma qualidade que nunca deve sair da sua lista de caraterísticas a aperfeiçoar.



Fonte: Alto Nível