Quatro lições de liderança eficaz por Eisenhower

Quatro lições de liderança eficaz por Eisenhower

Dwight Eisenhower personifica as características a emular pelos grandes líderes. A sua capacidade de liderança ajudou a comandar e vencer a II Guerra Mundial, e acabaria por ser eleito para dois mandatos presidenciais.

Os maiores heróis de guerra partilham uma característica de valor inestimável – a liderança. O americano Dwight Eisenhower é um desses heróis, personificando as características que todos os grandes líderes devem seguir. A sua capacidade de liderança ajudou a comandar e vencer a II Guerra Mundial, e Eisenhower acabou por ser eleito para dois mandatos presidenciais. Pelo que entender como utilizou as suas competências de liderança numa época de crise pode ser benéfico para todos aqueles que estão numa posição de chefia.

Liderar como um general
Cinco dias após o ataque a Pearl Harbor, o coronel Walter Smith fez um telefonema para o brigadeiro-general Dwight Eisenhower. E transmitiu uma mensagem do general George Marshall: Eisenhower tinha de se apresentar imediatamente em Washington. Assim que Eisenhower chegou, o general Marshall colocou-o a par da presença militar dos EUA no Pacífico. Após o briefing, o general Marshall perguntou a Eisenhower “qual deve ser a nossa linha geral de ação?”. Em vez de dar uma resposta imediata, Eisenhower pediu algumas horas para avaliar a situação. Sentou-se à máquina de escrever e digitou “Passos a serem tomados”. Era um líder magistral.
Embora algumas pessoas nasçam com qualidades inatas de liderança, muitas precisam de formação adicional para alcançar resultados máximos. Tomando Eisenhower como exemplo, podemos destacar quatro qualidades-chave de liderança eficaz:

1. Estar preparado
A Eisenhower só foi dito para viajar para Washington, não lhe foi explicado por que motivo estava a ser convocado. Embora não estivesse à espera que lhe pedissem recomendações para um plano de guerra, isso não importa. Ele tinha estado a preparar-se para aquele momento todos os dias – durante anos. Os líderes estão sempre preparados.

2. Ter coragem e confiança
Os líderes são confiantes, mas não excessivamente confiantes. Quando o general Marshall pediu a opinião de Eisenhower, este já era bem conhecido e respeitado dentro das forças armadas. Se ele tivesse excesso de confiança, poderia ter dado logo uma resposta. Por outro lado, se não tivesse coragem, poderia não ter pedido um tempo adicional (temendo ser julgado por não responder de imediato). Ao pedir tempo para pensar demonstrou ser corajoso e confiante.

3. Ser perseverante
Um bom líder persevera. No início da sua carreira no exército em tempos de paz, o major Eisenhower manteve a mesma posição por 16 anos antes de ser promovido. A maioria dos seus amigos havia deixado o exército para seguir uma carreira no mundo dos negócios. Porque o major Eisenhower optou por continuar o serviço militar, a História foi alterada para sempre.

4. Estar a postos para alterar os planos
O Dia D foi uma tremenda vitória militar. Abriu a porta para que os americanos lutassem na Europa, mas à custa de muitas vidas de ambos os lados. O que não é amplamente conhecido é que Eisenhower tinha preparado um discurso para o caso de a invasão aliada não ser bem-sucedida. Os líderes estão sempre a postos para mudar os planos com muito pouco aviso prévio.

E é por estes motivos que Eisenhower está entre os líderes de topo.

27-02-2018

Fonte: University of Notre Dame


Portal da Liderança