Lições de liderança por Horta Osório, Mexia e Ferreira de Oliveira

Lições de liderança por Horta Osório, Mexia e Ferreira de Oliveira

O que é ser líder para António Horta Osório, António Mexia e Manuel Ferreira de Oliveira? Os vencedores dos Best Leader Awards 2016 partilham a sua visão sobre como exercer liderança distintiva.

No dia da cerimónia da 7.ª edição dos Best Leader Awards – iniciativa organizada pela consultora portuguesa Leadership Business Consulting que visa reconhecer as personalidades que se destacam enquanto líderes em várias áreas – apresentamos a visão de liderança de cada um dos galardoados.

António Horta Osório, votado este ano o mais inspirador nos Best Leader Awards, e distinguido em 2009 na categoria de Líder Internacional, considera que “ser líder não é para todos”. Saber liderar “resulta de um misto de vocação natural e de experiência e de saber: liderar não é uma ciência. É uma arte”. Para o presidente do Lloyds Bank, “primeiro, um líder tem de ser um exemplo e ter grande capacidade de trabalho e dedicação ao projeto”; segundo, “simboliza uma aspiração coletiva”, o que “implica conhecer muito bem a psicologia da equipa e um esforço constante de comunicação”. Para além de “saber decidir – e a decisão de topo é solitária –, há que saber executar e monitorar, não para penalizar, mas sim incentivar e garantir que ninguém ‘descarrila’”. Acrescenta que, “uma vez definido o rumo, não devemos olhar para trás e avançar com grande rapidez, conferindo mais responsabilidades e autoridade com base no mérito”. O executivo não acredita na “mera delegação”. E adianta que “dá especial atenção à execução. Através das novas tecnologias, da qualidade dos colaboradores e do foco adequado, hoje ‘depressa e bem’ é possível”.

António Mexia, considerado o mais influente na edição de 2016, e vencedor na categoria de Líder na Gestão de Empresas dos Best Leader Awards de 2009, declara que “liderar tem a ver com a capacidade de influenciar outros, libertando o poder e potencial das pessoas nas organizações”. O CEO da EDP adianta que “o ponto de partida está na criação de uma visão clara e que mereça respeito”. E, tal como Horta Osório, considera que “esta ‘viagem’ só pode ter início e manter-se viva se houver comunicação que envolva as pessoas, difundindo conhecimento e compromisso. No fundo, trata-se de ‘energizar’ as pessoas na procura de um objetivo maior: só há liderança quando avançamos todos”. Pelo que não seja de admirar que, “enquanto líder, goste “do conceito de equipa e de jogo aberto, em que procuro que todos saibam o que podem esperar de mim e o que espero deles”. Mais: “a liderança distintiva tem de traduzir as doses necessárias de determinação e humildade”. António Mexia refere ainda que sofre de claustrofobia e não gosta “de espaços – físicos ou mentais – apertados”.


Manuel Ferreira de Oliveira
, vencedor na categoria de o mais transformador nesta edição
, e laureado na categoria Líder na Gestão de Empresa Privada em 2012, indica como características cruciais num bom líder, “além das competências específicas do setor e da empresa, ser capaz de se deixar apaixonar pelos projetos que abraça e de transmitir com eficácia aos colaboradores o entusiasmo que o anima; deve saber conciliar o recurso à dimensão emotiva e intuitiva da inteligência com a racionalidade das decisões que toma”. Atualmente à frente da Petroatlântico (fundo de investimento com maioria de capital canadiano), Ferreira de Oliveira considera que “a um bom líder exige-se que tenha uma perspetiva de longo prazo, que seja capaz de desenhar uma estratégia e inspirar, nas equipas, a confiança e motivação para a sua execução, garantindo que o sucesso comum se traduz na valorização individual do trabalho de todos”. E que a qualidade de um líder se mede “pelo rigor com que gere os recursos que lhe são confiados, mas também pela visão inspiradora que transmite às equipas e pela capacidade de em cada momento as motivar a superarem-se. O líder deve ainda reger-se pelos mais elevados princípios éticos e morais, para que seja um exemplo”.

A cerimónia de entrega dos Best Leader Awards 2016 decorre hoje, 2 de março, das 18h00 às 20h15, no Palácio Foz, em Lisboa, contando com o apoio da Vodafone, do Banco BIC, da Air France KLM e da Vortal. Mais informação em Best Leader Awards.

02-03-2016

Nota: Os depoimentos dos três galardoados reunidos neste artigo constam nas entrevistas concedidas aos jornais OJE e SOL, media partners dos Best Leader Awards.


Portal da Liderança