Sucesso a partir do nada? – Antes líderes que deram tudo por tudo

Sucesso a partir do nada? – Antes líderes que deram tudo por tudo

Tesla, Virgin Records, Walmart – são marcas hoje conhecidas pela grande maioria, mas que, se não fosse a persistência e dedicação dos seus líderes, podiam ter desaparecido de um dia para o outro. 

Bobby Campbell

Está sempre a acontecer – de repente, há uma empresa que parece surgir do nada. Companhias como o Facebook, Uber, Snapchat, Airbnb, Walmart, Virgin e Space X ou Pandora, que ganham dimensão, e todos ficam deslumbrados com a rápida ascensão. E nem se consegue acreditar no seu sucesso “da noite para o dia”. Acontece que não é de um dia para o outro. Estas empresas foram construídas ao longo de muitos anos por pessoas que trabalharam de forma árdua, 18 horas por dia, sete dias por semana. Enfrentaram desafios difíceis de superar e conquistaram-nos. Lidaram com a rejeição em termos de financiamento e ceticismo quanto aos seus planos de negócios. E houve alturas em que estiveram a horas de fracassar.

O “sucesso da noite para o dia em 10 anos” é uma expressão irónica utilizada pelas pessoas bem-sucedidas. É comum trabalhar-se uma década ou mais a construir uma empresa com o objetivo final de se tornar na tal sensação “de um dia para o outro”. E depois as pessoas veem a grandeza das empresas que alcançam um sucesso retumbante, mas raramente veem o percurso realizado para terem chegado à linha da meta. Há muito a aprender com as histórias das viagens e os desafios que estas companhias enfrentaram no seu caminho para o sucesso “repentino”. Seguem-se algumas:

Tesla e Space X; Virgin Atlantic e Virgin Records
O sul-africano Elon Musk, que fundou várias empresas, é mais conhecido pela SpaceX e a Tesla. Enquanto o bilionário britânico Richard Branson é conhecido sobretudo pela Virgin Records e a Virgin Atlantic. De acordo com estes dois prósperos empresários, os anos três e quatro das suas empresas, respetivamente, representaram um grande desafio; e a sobrevivência das companhias esteve por um fio. Tanto um como o outro referem que estiveram a 24 horas de fechar devido à falta de dinheiro e por não conseguirem obter financiamento. No entanto, ao vermos o seu sucesso global agora, não conseguimos imaginar que tenham tido qualquer tipo de problema – tudo o que tocam parece transformar-se em ouro. Estiveram muito próximos do fracasso, mas persistiram e tornaram-se num fenómeno de sucesso. Os seus negócios exigiram muito trabalho e dedicação, além de anos a contar cada tostão.

Walmart
A maioria das pessoas não sabe que Sam e Bud Walton, fundadores do grupo de retalho americano Walmart, arriscaram tudo para começar a empresa. Tinham uma cadeia razoavelmente bem-sucedida de lojas que venderam para iniciar a companhia. Sam Walton chegou a hipotecar a casa para angariar dinheiro.
No início da história do grupo, Sam Walton viu os pedidos de empréstimo rejeitados várias vezes pela banca, capital de que precisava desesperadamente para crescer e fazer a empresa ganhar escala. Ou seja, a dada altura a Walmart não conseguia obter um empréstimo. Mas lá houve um banco que acreditou nos Waltons o suficiente para investir no futuro da companhia, que hoje é uma das maiores cadeias de lojas do mundo. Parece que aconteceu de um dia para o outro, mas não. O sucesso dos Waltons envolveu anos de trabalho árduo e dedicação. 

Pandora Radio
Tim Westergren, fundador da Pandora Radio (online e personalizável), viu os seus pedidos de financiamento serem rejeitados mais de 300 vezes – acima de 300 vezes! A história da rádio Pandora é um bom exemplo de um fundador que acredita no seu conceito. E é também um exemplo de como, por vezes, a visão convencional é incorreta – mais de 300 investidores experientes e (supõe-se) inteligentes tomaram, por várias razões, a decisão errada. Mas Tim Westergren persistiu.
Quantas pessoas tiveram grandes ideias mas desistiram após o primeiro, segundo ou terceiro “não”?

Quando se está na área de vendas e a apresentar a empresa ou serviço, enfrenta-se rejeição. E tem de se habituar. Basta lembrar que ouvir “não” não é motivo para pendurar as luvas e desistir da luta. O empreendedor tem de tomar decisões com base nas suas crenças e convicções. Pode no entanto demorar dez anos a provar que as outras pessoas estão erradas, mas há que perseverar, e o sucesso será ainda mais saboroso.

20-03-2018

Fonte: Entrepreneur


BobbyCampbellBobby Campbell, empreendedor, fundador da Good Wizard Productions, da AdKarma e da Division-D.