Miguel Pina Martins: "É possível abrir empresas sem dinheiro."

Miguel Pina Martins: "É possível abrir empresas sem dinheiro."
 
Miguel Pina Martins1O 
Portal da Liderança esteve na Science4you com o seu administrador, Miguel Pina Martins. “A parceria com o Grupo Jerónimo Martins mostra que existe capacidade, interesse e condições para que as empresas nacionais colaborem internacionalmente e se ajudem mutuamente, no sentido de alcançarem novos mercados e expandirem os seus negócios.”  
  

A inovação e o empreendedorismo são as duas formas para tirar Portugal da crise e sermos um país na ribalta do mundo.”

Portal da Liderança (PL):  Como é que um quase recém-licenciado em finanças, que é analista financeiro, dá o salto para o empreendedorismo com base no projeto de final de curso? Como conseguiu cativar o interesse dos investidores e criar a Science4you?

Miguel Pina Martins (MPM): A Science4you nasceu de um projeto de final de curso, durante o meu Mestrado no ISCTE, quando tive de desenvolver um plano de negócios para a venda de uns kits de física criados pelos alunos da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, com a qual havia uma parceria. Após uma curta passagem pela Banca de Investimento, com um investimento pessoal de 1.250€ e posteriormente com recurso a capital de risco e o apoio do centro de empreendedorismo do ISCTE, a Audax, nasceu esta start-up 100% portuguesa.

Recordo-me que quando o projeto nasceu, uma das principais dificuldades que tivemos foi conseguir “convencer” os responsáveis das empresas de retalho a dedicarem algum espaço aos kits da Science4you nas suas lojas.



Nessa época, tinha apenas 22 anos, e não foi fácil convencê-los de que os nossos produtos eram viáveis, mas o selo de qualidade da Faculdade de Ciências ajudou, pois conferiu aos produtos a credibilidade necessária para que começassem a ser vendidos em diversas superfícies comerciais


PL: Como gere o risco?

MPM: Com doses equilibradas de ponderação e instinto. A Science4you conseguiu alcançar rapidamente o seu espaço no mercado português, que nos ajudou a abrir portas para o mundo. Neste momento, não obstante a nossa presença no nosso país, queremos continuar a levar as nossas experiências científicas a outros territórios, pois, até ao momento todos os riscos que corremos traduziram-se em retorno e isso é muito positivo na atual conjuntura.


PL: Um ano depois de ter começado a vender em Portugal já estava em Espanha e no ano seguinte em Angola e no Brasil. A aposta na exportação e internacionalização é fundamental para o sucesso da Science4you? Como efetua e gere estes processos?

MPM: Sim, como referido anteriormente, neste momento, o crescimento da Science4you passa muito pela aposta na internacionalização. Este é um caminho que temos vindo a trilhar desde o segundo ano de existência da empresa, com a abertura do escritório em Madrid e posteriormente em Londres. É um percurso que queremos naturalmente continuar.

 
PL: Hoje está presente, para além dos países já referidos, na Finlândia, Japão, Índia, França, e Polónia e já com escritório próprio em Madrid e em Londres. O que devem os líderes ter em conta ao entrar nesses mercados?  

A língua inglesa era um elemento fundamental para ter nos nossos produtos.” 

PL: A entrada na Polónia, na sequência de uma parceria com o Grupo Jerónimo Martins, resultou na maior venda alguma vez efetuada pela empresa a um único cliente e no seu maior volume de exportação de sempre. Qual o papel que estas parcerias estratégicas assumem nos dias que correm e no caso concreto da Science4you?

MPM: A parceria com o Grupo Jerónimo Martins mostra que existe capacidade, interesse e condições para que as empresas nacionais colaborem internacionalmente e se ajudem mutuamente, no sentido de alcançarem novos mercados e expandirem os seus negócios. Para nós, este acordo traduziu-se na comercialização de 36 mil brinquedos, em mais de 2 mil espaços e com um valor total de 200 mil euros. Tratou-se, até ao momento, do maior volume de exportação alguma vez realizado pela Science4you e é algo que pretendemos continuar a explorar.


PL: A Science4you vai receber o “Business Internationalization Award” do Governo Britânico. O que está na base do sucesso alcançado?

MPM: O prémio “Business Internationalization Award” que vamos receber pela mão de Lord Green, UK Minister for Trade & Investment, no próximo dia 8 de maio, reconhece as empresas que escolhem o Reino Unido enquanto mercado chave nas suas estratégias de expansão internacional. Isto sucede porque a Science4you inaugurou em janeiro deste ano o seu escritório no Dock Business Center da Universidade de East London, com um plano de negócios que contempla um investimento total de 500 mil euros. Sabemos que é um grande desafio para nós, mas acreditamos que os nossos brinquedos serão bem recebidos no país.


PL: É membro do Conselho Nacional para o Empreendedorismo e Inovação. O que aconselha a todos os que desejam apostar no empreendedorismo e desenvolver dinâmicas de inovação?

A inovação e o empreendedorismo são as duas formas para tirar Portugal da crise e para sermos um país na ribalta do mundo."

PL: Filipe de Botton, CEO da Logoplast, apontou-o recentemente como uma cara do futuro. Quais as competências de liderança que pensa serem fundamentais aos líderes do futuro?

MPM: Os líderes do futuro têm de acreditar que é possível vencer.


Não podem desanimar nem desistir ao primeiro obstáculo, mas sim contorná-lo.



Penso que, em certa parte, falta um pouco dessa mentalidade aos jovens portugueses.
 

PL: Se lhe fosse possível tomar uma medida governativa em Portugal, e tendo em conta o cenário económico e empresarial nacional, o que alteraria? 

Cabe ao governo conseguir colocar o empreendedorismo na agenda dos nossos dias.” 

PL: Quais os desafios que se lhe colocam nos próximos anos?

MPM: Os desafios são muitos, claro! A nível nacional, temos como objetivo a consolidação da marca Science4you. Temos já diversos pontos de venda próprios em Centros Comerciais e estamos também presentes em diversos retalhistas. A nível internacional pretendemos continuar a explorar novos mercados e, quem sabe, num futuro próximo investir na abertura de outro escritório próprio.

Vídeo exemplo de um dos brinquedos da Science4you:




Miguel Pina Martins nasceu em Lisboa a 8 de Janeiro de 1985, tendo ingressado no ISCTE no curso de Finanças em 2002, o qual concluiu em 2007, tendo de seguida ingressado no Mestrado Executivo em Gestão também no ISCTE/INDEG. Desde cedo que a política e a possibilidade de encabeçar os seus próprios projetos foi algo que o cativou, tendo desde os 18 anos, liderado projetos concelhios e distritais e sido eleito Deputado Municipal no Seixal aos 19 anos de idade. Esta necessidade de controlar em pleno a sua vida levou-o a sair da banca de investimento em 2007 e passar aos 22 anos a liderar um projeto. A 30 de Janeiro de 2008 nasce oficialmente o seu último projeto empresarial, a Science4you S.A. Para além de presidente do Conselho de Administração na Science4you, é também membro do Conselho Nacional para o Empreendedorismo e a Inovação e presidente do Conselho de Administração da Aqua F S.A. Miguel Pina Martins foi destingido pela Comissão Europeia como "Empreendedor do Ano 2010".

 [Leia aqui outras entrevistas]                                                                                     [Topo]