Lopo do Nascimento: Mobilizemo-nos para Trabalharmos pelo nosso País

Lopo do Nascimento: Mobilizemo-nos para Trabalharmos pelo nosso País

Lopo do Nascimento, deputado do MPLA, ex-Primeiro-Ministro de Angola e secretário-geral do MPLA, refere que “A manutenção de um clima de estabilidade social e político e a generalização duma política mais inclusiva é um desafio para Angola” e que "As relações económicas entre Angola e Portugal processam-se num quadro de bastantes equívocos".

Portal da Liderança (PL): Angola tornou-se independente há 38 anos. Qual o balanço que faz do crescimento e evolução do país?

Lopo do Nascimento (LN): Qualquer que seja o angulo da análise em que nos coloquemos o balanço é positivo, pois passou-se de uma condição da Colonia a País independente. 

Neste documento (Antes e Pós Independência) diz tudo; passar de um indígena qualquer a cidadão de uma NAÇÃO. Independentemente da falta de avanços ainda existentes nalgumas áreas da vida das pessoas e dos problemas e dificuldades vividos por parte da população angolana, 41 anos de guerra, dos quais 27 de guerra civil, não desaparecem tão facilmente.

PL: Esteve por dentro de alguns dos principais acontecimentos da história recente do país. Quais as lições aprendidas a não esquecer?

LN: Na vida de todos nós há lições que marcam e que ajudam a fortalecer-nos, mas em todas as ocasiões foi a experiencia do “saber relacionar-me” com as pessoas que sempre mais me marcou.

O documento em anexo (Carta) escrita antes da independência de Angola, por alguém que se encontrava num campo diferente do meu, mostra a preocupação que sempre tive. 

PL: Foi Primeiro-Ministro da República de Angola e Secretário-Geral do MPLA. Quais os principais desafios que se deparam ao país no futuro próximo?

LN: Um Pais novo e africano tem ainda muitos desafios, mas gostaria de salientar os que me parecem maiores:

  • A formação e capacitação dos jovens angolanos;
  • A manutenção de um clima de estabilidade social e político, a generalização duma política mais inclusiva;
  • A evolução demográfica em Africa, principalmente nos países vizinhos, e a concretização de ações que possam atenuar a imigração clandestina.

PL: Atualmente é deputado do MPLA na Assembleia Nacional. O que perspetiva relativamente às relações empresariais e políticas entre Angola e Portugal?

LN: Nas relações politicas penso que se estabelecerá um quadro que permita que as mesmas vão fluindo de forma normal, num ambiente de compreensão mutua e interajuda.

Quanto à parte económica, como estas atualmente já se processam num quadro de bastantes equívocos, não creio que sobre “equívocos” se possa construir alguma coisa de duradouro, de longo prazo. Penso portanto que é a perspetiva do curto prazo que irá continuar a prevalecer.

PL: Que mensagem deixa aos angolanos neste dia?

LN: A primeira mensagem aos meus conterrâneos é de felicitações por este dia que, como diz o Manuel Rui no “Poema dos Meninos do Huambo”, a bandeira custou muitas vidas e muitos sacrifícios.

A segunda mensagem é dedicada aos jovens, no sentido de que nos mobilizemos para Trabalharmos pelo nosso Pais, pelo BEM-ESTAR de Todos, pois ninguém fará isso por nós.

 


Lopo-do-Nascimento-2Lopo Fortunato Ferreira do Nascimento, político angolano, foi Primeiro-Ministro da República de Angola entre 1975 e 1978 e Secretário-Geral do MPLA entre 1993 e 1999. Foi também Ministro dos Negócios Estrangeiros entre 1979 e 1982, Ministro do Planealmento entre 1982 e 1986, Governador de Huila entre 1986 e 1991 e Ministro da Administração Interna entre 1991 e 1992. Atualmente é deputado da Assembleia Nacional pelo MPLA.