Dez empresas de Portugal em feira de energias renováveis de Cabo Verde

Dez empresas de Portugal em feira de energias renováveis de Cabo Verde

Entre os cerca de 40 expositores que apresentam os produtos e serviços na primeira Feira Internacional do Ambiente e Energias Renováveis (FIAER) em Cabo Verde estão dez empresas de Portugal.

As companhias são a Dosapac, a Egeo - Tecnologia e Ambiente, Green World, José Manuel dos Santos & Filhos, Openplus, SA Mogreen Systems, Siemens Portugal, Solíndigos - Energy Services, Técnicaviçosa, e Winpower.

No evento, promovido pela Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Sotavento (CCISS) e realizado no Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI), participam 25 empresas e instituições cabo-verdianas, e as restantes de países como Holanda, São Tomé e Príncipe, Gâmbia, Guiné-Bissau, Senegal, Mauritânia, Nigéria ou Costa do Marfim.

Sob o lema “Energia Limpa, Vida Sustentável & Negócios para a África”, a feira dura até sábado (13 janeiro), estando previstas atividades como palestras, workshops, visitas a locais de interesse na ilha de Santiago e contactos entre os expositores.

No seu discurso de abertura, o presidente da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Sotavento (CCISS), Jorge Spencer Lima, destacou a importância das energias renováveis e do ambiente para o futuro, dizendo que são dois fatores de produção nos quais se deve investir. “O importante é a procura de soluções que afetam os nossos países e questão de energia é um tema fundamental sobre o qual temos de discutir, debater, encontrar soluções alternativas para melhorar o nosso processo produtivo e, consequentemente, melhorar o desenvolvimento dos nossos países”.

Por sua vez, o primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, salientou as “enormes oportunidades” das energias renováveis para o futuro de Cabo Verde e para os restantes países da costa ocidental africana, lembrando que o país sedia um centro regional de energias renováveis e eficiência energética (ECREE). “(A energia renovável) trata-se de um setor promissor para o desenvolvimento dos nossos países e de importantes oportunidades de negócios para o setor privado nacional, regional e internacional”, referiu o chefe do Executivo. “Que daqui saiam alicerces e pilares essenciais para a construção de um futuro melhor para todos nós”, concluiu o primeiro-ministro de Cabo Verde, país que de momento tem uma penetração de energias renováveis na ordem dos 30%, mas pretende ter 100% de energias limpas na rede até 2030.

12-02-2016


Portal da Liderança