O Elétrico da Liderança: Ser um bom líder? – Sandra Correia

O Elétrico da Liderança: Ser um bom líder? – Sandra Correia

Muitas vezes me questiono sobre o que é ser um bom líder. Mas, afinal, todos nós que gerimos empresas, não somos bons líderes?

Esta é uma questão dúbia, porque quando falamos de qualitativos, tudo depende muito de quem observa, de quem analisa e de quem opina.

Não sei se sou boa líder ou não, porque esta definição não vem na Wikipédia, agora eu sei que todos nós para sermos bons líderes, na minha opinião, devemos ter uma característica comum "inconformismo".

Para mim um bom líder é aquele que não se conforma, é aquele que visiona e sai da sua zona de conforto; é aquele que procura traçar as estratégias e concretizar, mesmo que para isso signifique um não conformismo, uma resiliência, uma persistência, um think out of the box.

Vou contar-vos a minha experiência mais recente, para poder explicar o meu ponto de vista:

Regressei no passado fim de semana de três semanas nos Estados Unidos, onde estive a promover a Pelcor, tanto em reuniões, como nas feiras de moda e na Exposição "Iberian Suite" que está a decorrer no Kennedy Center em Washington DC.

Esta feira foi criada pelo Kennedy Center e convidaram Portugal a participar. Para o nosso país é uma honra e uma oportunidade que só ocorre várias vezes ao longo de uma vida. O desafio foi lançado pelo Arte Institute em NY, uma diáspora portuguesa gerida pela Ana Miranda, a grande empreendedora e promotora da cultura portuguesa nos USA. A ideia de como seria a exposição já estava mais ou menos delineada, mas faltava algo que fosse emblemático e provocasse nos media e na opinião pública um "ahhhhhhhh" de espanto.

Após várias trocas de impressões e brainstorming, dei uma ideia (com base num projeto comum gerado anteriormente para Lisboa) diferente do que tinha sido realizado até hoje, "um Elétrico em cortiça". Devo explicar que a ideia do Elétrico em cortiça, que tinha sido idealizado pelo Paulo Fernandes e pelo Arq. Lurdes Duarte, da Carris, contaram com a adesão imediata da Sofalca (empresa de cortiça) e da Pelcor, que se associaram para lançar este elétrico em Lisboa. Assim, e com base neste projeto, sugeri "e porque não levamos o elétrico em cortiça para o Kennedy Center?".

De uma ideia "louca" para a concretização foi uma viagem bem grande, porque fazer o elétrico em Portugal era mais simples, mas agora transportar para os USA, era bem mais difícil. 

Na realidade, tanto a Ana Miranda (Arte Institute), como o Nuno Vasa (designer e escultor) e o Paulo Estrada (Sofalca), aceitaram o desafio, mas, a partir deste ponto, vocês devem imaginar as dificuldades com que todos se depararam para conseguir fazer o elétrico e transportá-lo para Washington. Em resumo, o elétrico no seu tamanho normal, não entrava (cabia) nas portas do Kennedy Center. Assim, teve que ser todo construído de raiz, criada toda uma carcaça em metal e depois revestido a cortiça e, peça a peça, tipo puzzle, seguiu viagem e foi montado no local. E assim nasceu o Elétrico em Cortiça no Kennedy Center. 

Conto esta história real, como exemplo do que um líder deve ser: não conformado, persistente, resiliente e visionário, porque todas estas pessoas que eu nomeie são líderes e só com liderança como a deles, em que acreditaram, coordenaram as equipas, foram de Portugal para Washington, deram vida à sua estratégia e concretizaram, só assim os líderes conseguem ter bons resultados com as suas equipas, cumprir as suas estratégias e atingir objetivos. Ser um bom líder é ser um não conformado e ir até ao fim na sua visão. Eu pelo menos, acredito que sim. O "não" temos sempre, mas podemos vir a ter um “assim assim” ou mesmo um “sim” como resposta.

Em jeito de conclusão, para todos os que não podem ir a Washington ver a Exposição, dia 24 de março, a Carris, a Carristur, Sofalca e Pelcor vão lançar em Lisboa o Eletri'Cork e estão todos convidados para passearem nas ruas da cidade das sete colinas, no Elétrico em Cortiça, de Portugal para o Mundo!

 


Sandra-Correia-Pelcor-ColunistaSandra Correia fundou e é CEO da Pelcor desde 2005. Foi gestora da qualidade da Novacortiça e é formada em economia pela Universidade de Huelva, em empreendedorismo e gestão da inovação pela Universidade Católica e em comunicação empresarial. Conta com um extenso currículo, que inclui coleções para o MoMA de Nova Iorque e trabalhos desenvolvidos para personalidades como Barack Obama, Hillary Clinton, Angela Merkel e Madonna. Inclui também peças customizadas para a Cimeira da NATO em Lisboa (2010). Em 2011, Sandra Correia foi nomeada Melhor Empresária da Europa, prémio atribuído pelo Parlamento Europeu e Conselho Europeu das Mulheres Empresárias.