O elefante na sala que não é o Brexit

O elefante na sala que não é o Brexit

O verdadeiro elefante na sala não é o voto do Reino Unido ou uma presidência Trump, afirma um responsável de research do HSBC Holdings à Bloomberg, adiantando que o “verdadeiro elefante na sala é que vamos ter taxas de juros baixas e negativas por um longo período de tempo”.

O Brexit é, assim, apenas um apontamento lateral, de acordo com o executivo do HSBC. Muito tempo depois do voto Reino Unido para a saída da União Europeia e, independentemente do que acontecer na eleição presidencial nos EUA, há questões que, por vezes, demoram décadas a formar-se e conspiram para deprimir a economia global e manter os juros em níveis baixíssimos durante muitos anos.

As taxas baixas são ainda a consequência natural do excesso de endividamento dos Governos após a crise financeira.

No entanto, e apesar de o referendo britânico ter stressado os mercados financeiros, acrescenta o mesmo responsável, os investidores no mercado de títulos na ordem dos 100 triliões de dólares têm de olhar para problemas mais profundos e estruturais que afligem o mundo: a demografia, a explosão da dívida a nível mundial e a disparidade de riqueza entre os ricos e pobres.

Fonte: Bloomberg

28-06-2016 


Portal da Liderança