Luanda deixa de liderar as cidades mais caras para expatriados

Luanda deixa de liderar as cidades mais caras para expatriados

A cidade mais cara de África, Luanda, perdeu o 1.º lugar entre as metrópoles com o maior custo de vida para expatriados. O topo do pódio é agora ocupado por uma cidade asiática – Hong Kong.

Com os preços de habitação entre os menos acessíveis do mundo, bem como elevados custos de arrendamento, não é de admirar que Hong Kong tenha assumido a liderança do ranking da Mercer no relatório anual “Cost of Living Survey”, que analisa 209 cidades do globo quanto à acessibilidade e custo de vida para expatriados.

A pesquisa visa fornecer às organizações uma ideia de quão dispendiosas podem ser as cidades para os trabalhadores a viver no exterior. Alojamento, bens e serviços básicos são tidos em consideração no ranking.

Apesar de os centros financeiros na Europa e nos EUA serem muitas vezes considerados dos lugares mais caros para se viver, este top 10, com as exceções de Zurique e de Genebra, é dominado por cidades asiáticas e africanas.

As chinesas Pequim e Xangai desceram na lista por comparação com 2015. Tóquio subiu seis lugares, para o 5.º, logo atrás de Singapura, que se manteve na mesma posição. Kinshasa, na República Democrática do Congo, é estreante este ano, entrando para o 6.º lugar entre as mais caras.

Existem apenas duas cidades europeias no top 10 – Zurique, em 3.º lugar, e Genebra, no 8.º. Londres surge bem abaixo na lista, na 17.ª posição, e Paris ainda mais atrás, no 44.º lugar.

Lisboa ascendeu 11 posições, para o 134.º lugar, devido, essencialmente, à subida “do custo de alguns itens que pesam na ponderação, como os valores das rendas, que com o aumento da procura, associado ao turismo, acabaram também por aumentar a nível nacional”, é referido no documento.

A cidade nos EUA com o maior custo de vida para expatriados é Nova Iorque, ocupando a 11.ª posição.

Pode ver-se as diferenças, por exemplo, no custo do arrendamento de um apartamento. Em Hong Kong um T2 custa cerca de 6.300 euros, em comparação com 4.500 em Nova Iorque, à volta de 4.000 em Londres, e 1.500 euros em Lisboa.

Quanto à mais barata das 209 cidades analisadas, é a capital da Namíbia: Windhoek.

Fonte: Mercer

07-07-2016 


Portal da Liderança