Detox digital – será que precisa de uma?

Detox digital – será que precisa de uma?

Estamos a passar cada vez mais tempo online, o que está a afetar a nossa vida (pessoal e profissional). Um estudo recente do regulador de comunicações do Reino Unido, a Ofcom, conclui que milhões de britânicos já passaram por uma “detox digital”.

A Ofcom realizou a pesquisa junto de ​​2.025 adultos e 500 adolescentes para o anual Communications Market Report. A análise revela que os adultos no Reino Unido passam uma média de 25 horas por semana online, por comparação com as nove horas de 2005. O número aumenta para 29 horas na faixa etária dos 16 aos 24 anos. 


Mais de metade (59%) dos inquiridos diz que são “viciados” nos dispositivos que usam para se ligar à internet; mais de um terço tem dificuldade em desligar-se.


A pesquisa revela ainda que 34% estavam tão preocupados com o tempo que estavam a passar online que optaram por fazer uma pausa da internet o ano passado. Entre as desvantagens de estar na net por longos períodos de tempo está dormir menos ou cansaço no dia seguinte, passar menos tempo com a família ou amigos, e… chegar atrasado ao trabalho.


Cerca de 60% dos adolescentes, os maiores utilizadores de redes sociais e das mensagens instantâneas, admitem deixar de lado os trabalhos da escola; e um quarto tinha-se atrasado para a escola por causa de estar online.

Para quem optou pela detox digital, 33% dizem que se sentiram mais produtivos, 27% consideraram a experiência libertadora, e um quarto aproveitou mais a vida. No entanto 16% tiveram receio de “ficar de fora” (conhecido como FOMO), 15% sentiram-se perdidos, e 14% excluídos. 

Fontes: Ofcom

05-08-2016


Portal da Liderança