Jorge Bleck Abandona a Linklaters

Jorge Bleck Abandona a Linklaters

 

O sócio da Linklaters Jorge Bleck vai abandonar a sociedade de advogados inglesa até ao final do ano.
Jorge Bleck terá tido convites de alguns dos principais escritórios nacionais, sendo que o que parece ter mais hipótese de sucesso neste momento será o da espanhola Uría Menendez - Proença de Carvalho, onde Daniel Proença de Carvalho é um dos sócios. jorge-bleck-Lintakers

Pedro Siza Vieira, sócio da Linklaters, diz que Bleck "estará sempre ligado à Linklaters" e perante a questão de se está a ser ponderado algum acordo de não concorrência, que impeça o advogado de levar consigo a carteira de clientes que detém neste momento, diz apenas que "os sócios têm deveres para com a sociedade".

Jorge Bleck é um dos mais antigos sócios da firma em todo o mundo e prefere optar antes dos 60 anos por uma via profissional alternativa.

Siza Vieira garantiu ao Diário Económico que a saída de Jorge Bleck do escritório não significa qualquer desmantelamento do escritório da sociedade em Lisboa, "bem pelo contrário". "Estamos muito empenhados e comprometidos com a renovação da sociedade no futuro em Portugal", sublinhou o sócio, acrescentando que o escritório conta neste momento com uma equipa de 38 advogados, dos quais quatro sócios além de Bleck.

Jorge Bleck é um dos mais prestigiados advogados na área de Corporate/M&A, mas neste momento já não era ele que liderava este departamento na Linklaters e sim o sócio António Soares.

O fundo Arcus e o grupo Queiroz Pereira, onde se inclui a Semapa, são alguns dos principais clientes de Jorge Bleck que, mais recentemente, assessorou Germán Efromovich na privatização da TAP, contando com o apoio de uma equipa de cerca de 20 pessoas, repartidas entre Portugal, Luxemburgo e Brasil.

A Linklaters é, agora, a única britânica com escritório em Portugal, depois da saída da Simmons&Simmons, que estava em Lisboa numa parceria com Pedro Rebelo de Sousa. É uma das maiores e mais rentáveis sociedades de advogados da Europa, sendo a única que pertence ao chamado "círculo mágico" das firmas de Londres, que está presente em Portugal.

 


Fonte: Económico