A liderança precisa de se adaptar à Geração Millennial?

A liderança precisa de se adaptar à Geração Millennial?


Liderar os trabalhadores que nasceram entre 1980 e 2000 e cresceram numa sociedade digital pode ser o novo desafio da gestão – e o seu desafio enquanto responsável, caso queira ficar no topo da pirâmide da liderança.  

Adaptar o estilo de liderar para ir ao encontro das necessidades e qualidades dos seguidores é um dos principais componentes da liderança eficaz. A Geração Millennial, também conhecida como Geração Y, é o mais recente grupo emergente de colaboradores: aqueles que nasceram entre 1980 e 2000 e cresceram numa sociedade digital. Diferentes da Geração X, que os precedeu, representam um em cada três trabalhadores no mercado europeu. São várias as formas em que esta faixa etária difere da anterior, logo, também a sua liderança – e a sua organização – terá de ser diferente.

Tecnologia e colaboração
Os Millennials estão para lá de familiarizados com a tecnologia, uma vez que cresceram com a internet, os PC, iPhones e afins. Eles não resistem às últimas tecnologias, pelo contrário, recebem-nas de braços abertos. Além de que estão interligados online, e podem ser bem conhecidos nos social media, uma vez que passam muito do seu tempo na net, com posts, a tweetar… Raramente estão sozinhos, estão sempre ligados em rede, e podem colaborar sem o receio de pedir ajuda a terceiros.

Os Millennials querem ser ouvidos e não querem que as suas ideias sejam ignoradas. Gostam de fazer parte das decisões e não dão muito crédito à autoridade ou a hierarquias, e adoram ambientes de trabalho divertidos. Para fazerem face a um mercado de trabalho cada vez mais difícil, perceberam a necessidade de serem inovadores, flexíveis e criativos no sentido de apoiarem as organizações onde trabalham.

Muitas empresas já perceberam as necessidades desta geração e criaram ambientes de trabalho centrados nos funcionários de forma a atraí-los e a manter os seus talentos.
Assim sendo, como se lidera e gere este grupo com sucesso?

Criatividade e metas positivas
A primeira coisa que um líder precisa de perceber é o quão criativa – e boa – esta faixa etária é no que diz respeito a multi-tasking (multitarefas). No entanto, no sentido de se tornar numa vantagem de negócio, a Geração Y precisa de estrutura para a sua perícia tecnológica, e da capacidade de trabalhar em equipa. Os Millennials são idealistas e têm uma visão muito clara do tipo de líder que querem – um herói justo e com integridade, e que se preocupa com cada um dos seus funcionários. Saber como os liderar neste sentido é a chave para ter sucesso.

Qualquer empresa precisa de um bom líder, que saiba como organizar recursos, espaço, materiais, dinheiro, tempo e eficiência. No caso dos Millennials, o bom líder é aquele que encontrar soluções criativas e oriente a equipa numa direção que seja positiva. Enquanto chefe desta geração, tem de “vender” as suas ideias e tomar medidas positivas com riscos mínimos. Tem de trabalhar para unir os Millennials e mostrar-lhes como fazer com que os projetos tenham resultados positivos. Desta forma, o líder também pode ganhar em termos de experiência de aprendizagem. Por exemplo, irá aprender a pensar de modo analítico, a tomar decisões e a comunicar para que a Geração Y o entenda e à sua organização. E assim minimiza os seus pontos fracos enquanto dirigente. Se, enquanto chefe, se concentrar nas funções dos indivíduos, o líder pode maximizar os esforços de cada membro da equipa. Por fim, seja qual for o tamanho do grupo, terá de assumir a responsabilidade de elevar as suas contribuições para que os objetivos da empresa sejam atingidos.

13-09-2017

Fonte: About Leaders


Portal da Liderança