Lições de gestão a aprender com o Fly Fishing

Lições de gestão a aprender com o Fly Fishing

Um rio não é um escritório, mas as lições que lá se aprendem podem levar-se para o escritório.

Victor Lipman, que liderou uma das maiores seguradoras americanas durante 25 anos, refere que "como alguém que passa muito tempo nos rios e na gestão, sinto que aprendo menos sobre gestão com livros e mais com água e com o comportamento dos peixes".

"Como muitos pescadores à pluma*, passo muitas horas a ser engando por uma truta. Mas ao serem inteligentes, ensinaram-me também umas coisas. Nesse espirito eis o que a pesca à pluma pode ensinar sobre a liderança:

  • As pequenas coisas fazem uma grande diferença

"Esta é a base da pesca à pluma e pode ser também a base para a gestão. A pesca à pluma bem-sucedida depende dos pequenos detalhes: a espessura do terminal (a linha fina que ata diretamente à pluma), o tamanho da pluma, e a precisão e delicadeza do lançamento, apenas para nomear alguns. Se algum destes elementos não estiver certo, não irá pescar nada. No mundo da gestão, o envolvimento do funcionário e o seu desempenho é geralmente influenciado pelos pequenos detalhes: uma palmadinha nas costas ou uma palavra de encorajamento de um bom trabalho… a miríade de pequenas interações diárias que moldam a forma como o funcionário se sente com o gestor (e geralmente com uma organização inteira). As pequenas coisas são importantes no rio e no escritório."   

  • “Matching the hatch” motivacional

Flyfishing-Portugal-4“Matching the hatch” é outro elemento importante da pesca à pluma (saber selecionar a pluma, também conhecida como mosca artificial, mais próxima do inseto que está a eclodir no rio, uma vez que é isso que os peixes estão e que quererão comer). Se a truta vem à superfície para um banquete de ephemerella dorothea (pequenas efémeras de cor clara), não vale a pena tentar apresentar-lhe uma pluma maior e mais escura.

O equivalente na gestão é aquilo a que chamamos de “nascimento motivacional”. Um gestor tem que compreender o que motiva os funcionários e depois fazer a apropriada correspondência entre as necessidades dos funcionários e as recompensas e incentivos. As motivações são tão únicas como as personalidades. Alguns funcionários querem apenas ser elogiados e reconhecidos. Outros procuram mais tempo com a família e um equilíbrio melhor entre vida e trabalho. Outros podem ser incentivados por títulos ou gabinetes maiores. E outros ainda preocupam-se com as compensações e os bónus. Tal como no rio, depende do gestor o quebrar do código e conseguir determinar que atração é que irá ser mais motivadora."  

  • Ler a água

"Se passasse a maior parte do meu tempo a “ler a água” em vez de a ler livros de gestão, provavelmente seria hoje um homem mais rico (pelo menos financeiramente). Um bom pescador à pluma está constantemente a ler o rio (avaliar o fluxo, a corrente, a profundidade, à procura de pedras, árvores e a considerar as características das margens mais próximas, para determinar que tipo de peixes irão lá estar).

Um bom executivo avalia constantemente o ambiente (as condições de mercado, os concorrentes, a economia, a saúde e a vitalidade da força de trabalho) para determinar onde estão os clientes, o que eles querem e em que direção é que a empresa está a ir. Compreender o ambiente é importante para o sucesso de ambas as atividades."

  • Apanhar e soltar

"Na pesca à pluma e nos negócios, o mais importante não é apenas o que se faz, mas como se faz. O sucesso de longo prazo requer resultados sustentáveis, e não apenas resultados conseguidos por acaso. Os peixes que se apanham e que se soltam continuarão a enriquecer o ambiente e a proporcionar mais desporto para outros. Os gestores que respeitam os seus recursos humanos produzem resultados sustentáveis conseguem funcionários reconhecidos, bem tratados e envolvidos que irão, no longo prazo, ser mais produtivos."  

  • Fazer o que está certo
Flyfishing-Portugal-2"Na pesca à pluma trata-se de fazer as coisas da maneira certa (“matching the hatch”, fazer bons nós, lançar de forma a que a pluma seja apresentada sem que assuste os peixes). Existem muitos passos no processo em que as coisas podem dar para o torto e em que não se pesca nada.
 
Nos negócios, o equivalente na gestão é liderar ao dar o exemplo, mostrar o comportamento correto e estabelecer um padrão que os outros irão seguir. Embora o mundo dos negócios tenha a sua parte de comportamentos questionáveis (atrair os executivos pela remuneração, ocasionalmente, um poderoso motivador para a prevaricação), aqueles que se comportam de uma forma universalmente respeitada, verão que ganham a lealdade dos outros de uma forma muito mais fácil.


Embora existam muitas semelhanças entre a pesca à pluma e a gestão, existe uma pequena diferença que devo mencionar. A gestão é conhecida por ter frustrações. Existem dias bons e dias maus. Como qualquer gestor pode confirmar, alguns dias são muito bons, outros são muito maus. É aí que acabam as semelhanças.

Quando se fala de pesca à pluma, não existem dias maus." 

* Nota: A prática do Fly Fishing também é conhecida como Pesca à Pluma ou à Mosca.

Fotografias cedidas por Segredos da Pluma.

Fonte: Forbes


Victor-LipmanVictor Lipman esteve na liderança de uma das maiores seguradoras americanas durante 25 anos, após os quais se aposentou. Anteriormente tinha sido jornalista, editor e autor. É o fundador e presidente do Howling Wolf Management Training, LLC e escreve regulamente na Forbes.