Como dar formação a novos colaboradores e criar uma cultura de oportunidade?

Como dar formação a novos colaboradores e criar uma cultura de oportunidade?

“Existe sempre algo novo para aprender”, escreve Richard Branson no Entrepreneur. “No dia em que parar de aprender, será o dia em que deixará de viver. Devemos todos adquirir novas competências, ter novas ideias, diferentes pontos de vista e formas para trabalhar todos os dias.

Tendo dito isto, o primeiro objetivo de qualquer nova empresa é certificar-se de que o seu modelo de negócio funciona. Uma das melhores maneiras para o fazer é ao recrutar pessoas excelentes que acreditam na empresa e que partilham os mesmos objetivos, e depois ajudá-las a aprender e a melhorar as competências que têm.

Isto não é opcional: Se os melhores talentos não estiverem a desenvolver as suas carreiras à medida que o negócio ganha tração e se expande, perderão rapidamente o entusiasmo pelo trabalho. E antes que o perceba, estará a lidar com clientes insatisfeitos e com colaboradores igualmente descontentes. 

O desejo que os seus colaboradores têm de aprender dá-lhe a si, enquanto líder, uma vantagem competitiva sobre empresas de maior dimensão. As pequenas empresas são geralmente novas, pelo que atraem pessoas que estão ansiosas por experimentar novas abordagens e com grandes ideias sobre como fazer as coisas de forma diferente, em vez de colaboradores que têm em vista conseguir um lugar específico ou um determinado título.

Pode capitalizar esta vantagem ao deixar que as pessoas sigam as suas ideias. E com uma empresa pequena, quem mais é que o fará? Este é o tipo de formação e o percurso de carreira que muitas pessoas criativas desejam: ser capaz de estabelecer objetivos desafiantes para eles e depois tentar cumprir esses objetivos, ainda que exista a possibilidade de fracassar. Se lhes der responsabilidades significativas, ficará surpreendido com aquilo que estes conseguirão fazer, e em troca, ganhará a sua lealdade e o seu compromisso.

Uma vez criada esta cultura de oportunidade, a sua equipa verá que existem oportunidades para progredir na empresa. Deste modo, esforçar-se-ão mais por dominar as suas posições atuais, para que possam ser considerados para uma promoção ou desenvolvimento. 

Se os seus colaboradores precisarem de competências técnicas, terá que compensar o seu magro orçamento ao ser inteligente com os planos de formação. Melhorar e adquirir constantemente competências de tecnologias de informação é essencial em muitas indústrias. Até eu tenho aprendido sobre técnicas de social media e blogging com a ajuda da nossa equipa de social media. Caso necessite pode sempre encontrar ajuda online (consulte a temática: Como comunicar com sucesso).

Se muitos dos seus colaboradores precisarem da mesma formação, considere alguns métodos alternativos. Em vez de enviar 10 pessoas para o mesmo programa, pode sempre negociar e trazer um formador interno, mantendo os custos baixos. Em vez de contar com empresas privadas de formação, que são caras, pode encontrar peritos dispostos a dar palestras à sua equipa. Procure ter acesso a mentores, com diferentes percursos profissionais, dispostos a discutir alguns temas com a sua equipa. Isto poderá ser mais interessante e mais motivador do que uma formação tradicional. 

virgin-train À medida que o seu negócio cresce, alguns dos seus novos colaboradores poderão necessitar de formação prática. Os novos colaboradores da Virgin Trains aprendem sobre as tuas funções numa carruagem verdadeira que foi desativada. Até incluí uma carruagem de catering e uma cabine de motorista!

No entanto, criar uma área prática pode não ser uma opção para si. Nesse caso, uma das maneiras mais simples de dar formação a um novo funcionário poderá ser ao criar uma relação de mentoria com um dos seus melhores talentos. Primeiro, faça com que esse novo colaborador acompanhe o mentor durante alguns dias. Assim que o novo colaborador estiver pronto para começar a trabalhar sozinho, peça ao mentor para supervisioná-lo e continuar a dar-lhe dicas sempre que este necessitar de conselhos.

Lembre-se de procurar novas tecnologias e oportunidades e de providenciar seminários para que também você e os seus colaboradores possam explorá-las, mesmo que não possam ser aplicadas diretamente ao seu negócio. Quem sabe, poderá estar no caminho da próxima grande inovação capaz de colocar a sua equipa um passo à frente da concorrência.

À medida que ajuda as pessoas a desenvolverem as suas competências, terá que pensar em como as reter no longo prazo. Uma das melhores maneiras é promovendo-as internamente, sempre que possível. Afinal de contas, quem é que conhece melhor a sua empresa?

Um dos melhores exemplos na Virgin de que me lembro, é a trajetória de carreira do principal piloto da Virgin Galatic’s, o Dave Mackay. O anterior cargo dele? Era o responsável máximo pelo Airbus A340-600 da Virgin Atlantic. Agora é responsável por levar turistas ao espaço. A isto é que eu chamo de progressão na carreira!

Quer tenha 30 ou 300 funcionários, criar uma cultura de oportunidade na sua empresa, irá fazer toda a diferença para o seu pessoal. A aprendizagem não será restrita a períodos de formação pré-estabelecidos, mas irá acontecer em todas as áreas de negócio, durante todo o dia.”


Fonte: Entrepreneur


Sir Richard Branson, empresário britânico fundador do grupo Virgin. Os seus investimentos vão da música à aviação, vestuário, biocombustíveis e até viagens aeroespaciais. Richard Branson é o 245º homem mais rico do mundo segundo a revista Forbes, e a sua fortuna, em 2008, foi avaliada em 4,2 bilhões de dólares. Branson é disléxico e desistiu da escola aos 16 anos.