Só se queixa do trabalho? Há 5 sinais de que o ambiente da empresa é tóxico

Só se queixa do trabalho? Há 5 sinais de que o ambiente da empresa é tóxico

As pessoas da sua organização têm sucesso a “pisar” os colegas? Há preferidos – e preteridos – na altura de atribuir projetos ou de dar aumentos? Estes são alguns dos sinais de que trabalha num ambiente tóxico.

Padmaja Ganeshan-Singh

Mesmo quando adoramos o que fazemos há sempre algo no nosso local de trabalho que gostaríamos de poder mudar. E isto num cenário ideal; se tiver sorte, tem apenas um problema ou dois que gostaria de resolver, mas nada que tenha grande impacto na sua satisfação no emprego como um todo. No entanto, se os seus problemas vão para além de pequenas reclamações – se se sentir ameaçado, sufocado, comprometido nos seus princípios, na ética de trabalho, ou no bem-estar profissional e pessoal – pode estar a trabalhar num ambiente tóxico. Eis cinco sinais reveladores:

1. Há muita concorrência – e não é da saudável 

Todos na sua equipa parecem estar a tentar provar o seu valor... ao denegrirem o colega do lado. Parece que a intenção não é ter sucesso mas fazer com que a outra pessoa fique mal vista. Se está a gastar mais tempo a tentar explicar ao seu chefe o que o seu colega fez, ou tem de fazer controlo de danos em todos os seus projetos, é porque provavelmente está a ser sugado por um ambiente tóxico.

2. O seu superior simplesmente não está a gerir bem

Há maus líderes e gestores em todo o lado. Gritam, fazem comentários impróprios, repreendem os colaboradores em público e assim por diante. Num ambiente tóxico, é usual o responsável só atribuir projetos ou dar aumentos e promoções aos seus “protegidos”, ignorando e não se preocupando com o resto da equipa. E embora muitos líderes possam ser agressivos, há uma linha que a maioria não atravessa – a que coloca em causa a sua ética. Se o seu superior hierárquico aconselha a quebrar códigos de conduta ou leis, tem de informar quem de direito.

3. Os Recursos Humanos não ajudam

Se os Recursos Humanos fazem ameaças quando tenta obter ajuda ou apoio – “tenha cuidado ou pode ficar sem o emprego”, “aguente-se e faça o seu trabalho” –, não estão a fazer o que é suposto. E, provavelmente, nunca o farão. Se tiver hipótese, saia da empresa.

4. O bullying é um comportamento aceite

Se a equipa se sente encurralada e impotente por causa da conduta irresponsável e insensível de alguns membros, e se tal comportamento é tolerado, então está preso num ambiente onde simplesmente não é possível fazer o seu trabalho de forma eficaz.

5. A liderança não “vê”
Se a gestão de topo só quer ver resultados e não quer ter nada a ver com a forma como os colaboradores os alcançam, está a incentivar uma cultura duvidosa. Um ambiente de trabalho stressante – onde todos têm de apresentar resultados quaisquer que sejam os meios para os atingir – pode afetar a saúde e o bem-estar dos funcionários. A equipa de liderança está a alimentar um comportamento cáustico; e nem sequer pode tentar falar com os responsáveis sobre o assunto, porque pura e simplesmente eles não querem saber.



Quando a cultura da empresa é tóxica, por vezes não há muito que se possa fazer para alterar a situação. No entanto, se o problema se restringe à sua equipa, então tem opções. Evite a(s) pessoa(s) tóxica(s), e fale com o seu superior hierárquico, a pessoa acima dele, ou um terceiro interveniente a nível interno, neutro, como os Recursos Humanos. Contudo, se vir que não pode optar por nenhuma destas hipóteses, pode estar a colocar em risco a sua saúde, a carreira e até a sua reputação. E talvez seja altura de sair o mais rápido possível e nem sequer olhar para trás.

 04-12-2015

Fonte: PayScale


Portal da Liderança


Padmaja Ganeshan SinghPadmaja Ganeshan-Singh, profissional da área de Recursos Humanos, tem experiência no relacionamento empresa-trabalhadores, gestão de talento e desenvolvimento de carreira, além de ser escritora freelance.