10 Segredos de comunicação dos grandes líderes

10 Segredos de comunicação dos grandes líderes

Embora a maior parte dos líderes gastem a esmagadora maioria do seu tempo durante o dia nalguma situação interpessoal, a maioria dos problemas organizacionais ocorrem devido a falhas de comunicação.

Mike Myatt, consultor de gestão de líderes da Fortune 500 CEO e CSO da N2growth, partilhou que “é simplesmente impossível sermos um grande líder sem sermos um bom comunicador. Espero que tenham reparado que na frase anterior não me referi a um grande falador, o que é uma grande diferença. É a capacidade de desenvolver uma consciência externa ativa que separa os verdadeiros grandes comunicadores daqueles que só atrapalham quando em interação com os outros. Se reparar nos maiores líderes do mundo, verá que também são grandes comunicadores. Poderão falar sobre as suas ideias, mas fazem-no de forma a atingir as suas emoções e as suas aspirações. Eles percebem que se a sua mensagem não se enraizar com o público, esta não será entendida e muito menos defendida.

É precisamente este paradoxo que ressalta a necessidade dos grandes líderes se focarem em tornarem-se grandes comunicadores. Uma comunicação eficaz é uma componente essencial do sucesso profissional, seja a um nível interpessoal, intergrupal, intragrupal, organizacional ou externo. As competências e/ou conhecimentos adquiridos apenas têm valor quando aplicados no seu contexto. “

Segundo Myatt, “o aspeto mais importante que os grandes comunicadores têm em comum é o de possuírem um senso de consciência situacional e contextual. Os melhores comunicadores são grandes ouvintes e astutos nas suas observações. Os grandes comunicadores têm a capacidade para ler pessoas e/ou grupos através da detecção de estados de espirito, dinâmicas, atitudes, valores e preocupações daqueles com quem comunicam. Não só entendem o ambiente onde estão inseridas essas pessoas, mas têm também a incrível capacidade de adaptar as suas mensagens a esses mesmos ambientes. A mensagem não é sobre nem tem nada a ver com o mensageiro. Esta está 100% relacionada com ir ao encontro das necessidades e expetativas daqueles com quem comunica.

Como é que sabe quando as suas capacidades estão desenvolvidas o suficiente para se tornar num comunicador excelente?”

Myatt diz-nos que “terá chegado a esse ponto quando as suas interações com os outros seguirem de forma consistente os seguintes 10 princípios:

falar11. Não fale com uma língua afiada
Na maioria dos casos, as pessoas não se abrem com pessoas em quem não confiam. Quando as pessoas sentirem que um líder é digno da sua confiança, estas investirão tempo e tomarão riscos que nunca tomariam caso o líder tivesse uma reputação construída à base de fraco carater ou falta de integridade. Pode tentar exigir confiança, mas isso raramente funciona. A confiança deverá ser ganha através de bons comportamentos, pensamentos e decisões. Lembre-se que as pessoas perdoam muitas coisas onde há confiança, mas raramente perdoam alguma coisa onde não há confiança.

2. Seja Pessoal
Deixe de imitir comunicados corporativos e comece a ter conversas organizacionais – pense em diálogo e não em monólogo. Quanto mais pessoal e cativante for a conversa, maior será o seu efeito. Há uma grande verdade no axioma seguinte: “as pessoas não se importam com o quanto você sabe até saberem o quanto se preocupa”. A teoria clássica de negócios diz aos líderes para se manterem afastados. Eu digo mantenham-se afastados se querem permanecer na escuridão e receber apenas versões altamente higienizadas da verdade. Se não criar relacionamentos com significado com as pessoas, nunca saberá o que estes verdadeiramente pensam até ser demasiado tarde para fazer algo.

aberto3. Seja específico
Especificidade é melhor que ambiguidade, 11 em cada 10 vezes. Aprenda a comunicar com clareza. Simples e conciso é sempre melhor que complicado e confuso. O tempo nunca teve tanta importância como nos dias de hoje. É crucial para os líderes aprenderem a ir diretamente ao assunto e falarem apenas do que é mais importante. É também importante esperar que os outros façam o mesmo. Sem entender os valores de brevidade e clareza, será improvável conseguir uma oportunidade de atingir um nível granular, pois as pessoas acabarão por ignorá-lo mesmo antes de chegar a esse ponto. O seu objetivo é o de eliminar o supérfluo e fazer com que as suas palavras contem.

4. Concentre-se nos “leave-behinds” e não nos “take-aways”
 Os melhores comunicadores não só têm a capacidade para aprenderem e juntarem informação enquanto comunicam, como também são adeptos da transferência de ideias, de alinhar expetativas, inspirar ações e de espalhar a sua visão. A chave é aproximar cada interação ao coração disponível ao serviço. Quando realmente se focar em dar mais do que receber terá conseguido o seu objetivo. Embora isto pareça contra-intuitivo, ao focar-se intensamente nos desejos e necessidades dos outros, aprenderá muito mais do que quando se foca apenas na sua própria agenda.

openmind5. Tenha uma mente aberta
Costumo dizer que a rigidez de uma mente fechada é o maior fator que limita novas oportunidades. Um líder atinge um nível completamente diferente assim que procura, voluntariamente, aqueles que têm opiniões ou posições opostas às suas, não com o objetivo de convencê-las a pensar de forma contrária, mas com o objetivo de entender o porquê de pensarem assim. Fico sempre admirado com o número de pessoas que têm medo de visões opostas, quando deveriam realmente estar curiosos e interessados. Os diálogos abertos com aqueles que o confrontam desafiam-no, expandem-no e desenvolvem-no. Lembre-se que não é a opinião que importa mas sim a vontade de discutir o assunto com uma mente aberta e de aprender.

6. Cale-se e ouça
Os grandes líderes sabem quando devem falar e quando devem estar calados. Transmitir a sua mensagem apenas por transmitir não terá o mesmo resultado que uma conversa cativante e com significado, assumindo que compreende que a melhor forma de discurso ocorre dentro uma conversa e não de uma palestra ou monologo. Quando chegar àquele ponto da sua vida em há um clique e compreende que os conhecimentos não se adquirem a falar mas sim a ouvir, terá tomado o primeiro passo em direção a tornar-se num comunicador com grandes competências.

empatia7. Substitua ego por empatia
Sempre aconselhei os líderes a não deixarem o seu ego escrever cheques que o seu talento não consegue cobrir. Quando franqueza é comunicada com empatia e carinho, e não com uma arrogância orgulhosa de um ego inflamado, coisas boas acabarão por acontecer. Os comunicadores empáticos demonstram um nível de autenticidade e transparência que não está presente naqueles que escolhem comunicar através de uma máscara criada através de um ego muito frágil. Entender este principio de comunicação é o que o ajuda a transformar fúria em respeito e dúvida em confiança.

8. Ler nas entrelinhas
Aproveite este tempo para pensar e refletir sobre qualquer grande líder que lhe venha à mente. Perceberá que era adepto de ler nas entrelinhas. Têm a estranha habilidade de perceber o que não foi dito, testemunhado ou ouvido. Ser um líder não deverá ser visto com uma licença para aumentar o volume da retórica. Os líderes astutos sabem que ganham mais a renderem-se do que a obstruírem. Nesta era de comunicação instantânea, todos têm pressa de comunicar o que pensam e falham no perceber o que pode ser ganho com as mentes dos outros. Mantenha os seus olhos e ouvidos abertos e a sua boca fechada e ficará surpreendido com quanto o seu nível da consciência aumentará.

confianca9. Quando falar, saiba do que fala
Desenvolva um domínio técnico sobre a sua área de especialidade. Se não tem uma área de especialidade, poucos serão os que o ouvirão. A maioria das pessoas bem-sucedidas tem pouco interesse em ouvir pessoas que não conseguem acrescentar valor a uma situação ou tópico, mas que se metem na conversa apenas para ouvir a sua voz. A era do fingir que sabe só porque sim já passou e para a maioria das pessoas que conheço. Rápido e com muita lábia não é sinónimo de credível. Todos já ouviram o ditado “não é o que se diz, mas como se diz que importa” e, embora exista alguma verdade nesta afirmação, estou aqui para vos dizer que o que é dito tem muita importância. Bons comunicadores ligam tanto ao “quê” como ao “como” da mensagem, para não caírem em falas mansas que levam a pessoas a ficarem com a uma impressão de forma em vez de substância.

10. Fale com os grupos com se fossem individuais
Os líderes nem sempre têm o luxo de falar com as pessoas num ambiente privado. Os grandes comunicadores conseguem adaptar uma mensagem de tal forma que, ao falarem numa sala de conferências com 10 pessoas ou num auditório com 10 000, a mensagem é sempre dirigida a todo e qualquer indivíduo presente. Saber como trabalhar numa sala, estabelecer credibilidade, confiança e harmonia são a chave para interações bem-sucedidas.

mudanca111. Bónus – Esteja preparado para alterar a mensagem caso seja necessário
Outro componente da estratégia de comunicação, que raramente é discutida, é como prevenir que a mensagem tenha um efeito negativo e o que fazer quando isso acontecer. A isto chama-se estar preparado e desenvolver um plano de contingência. Mais uma vez, deverá ter em mente que, para ocorrem interações de sucesso, os seus objetivos deverão estar alinhados com aqueles com quem comunica. Se a sua perícia, empatia, claridade, etc., não tiverem o efeito desejado, o que raramente acontece, tem de ser capaz de criar impacto ao alterar as coisas no momento. Utilize boas perguntas, humor, histórias, analogias, informação importante e, sempre que necessário, declarações ousadas que o ajudem a conectar e cativar a confiança necessária para as pessoas se interessarem. Embora em algumas circunstâncias seja necessário utilizar a tática “Shock and Awe”, esta deverá ser o ultimo recurso.

Não assuma que uma pessoa está preparada para ter uma conversa em particular consigo, só porque você está. Passar algum tempo a preparar o caminho para uma conversa produtiva é muito melhor do que estas pensarem que destrói tudo o que toca. Mais ainda, não pode assumir que todos sabem do que fala sem que lhos diga. Nunca deixo de me surpreender com quantas pessoas assumem que toda a gente sabe o que eles querem que ocorra, sem nunca descobrirem o que é necessário para comunicar seu objetivo. Se falhar em justificar a sua mensagem com conhecimento, lógica, razão, empatia, etc., verificará que a sua mensagem será ignorada e será necessário reforçá-la ou clarificá-la posteriormente.”

Myatt destaca ainda que “a lição de liderança aqui presente é a de que, quando tem uma mensagem a comunicar, seja direta ou indiretamente através de outros, esta deverá ser verdadeira e correta, bem fundamentada e justificada por uma sólida lógica e ser especifica, consistente, clara e precisa. Passar algum tempo extra a desenvolver bem a sua mensagem irá, provavelmente, salvá-lo do agravamento considerável e dos danos cerebrais após a mensagem ser transmitida. O mais importante de tudo, é ter em consideração que a comunicação nada tem a ver consigo, com as suas opiniões, com as suas posições ou com as suas circunstâncias. A comunicação é ajudar os outros a satisfazer as suas necessidades, entender as suas preocupações e acrescentar valor aos seus mundos. Faça isto e reduzirá drasticamente o número de problemas de comunicação que poderá experienciar no futuro.”

Fonte: Forbes


Mike MyattMike Myatt é consultor de gestão dos líderes da Fortune 500 CEOs, autor de várias obras, entre elas o "Leadership Matters...The CEO Survival Manual". Anterioremente foi líder num banco de investimento e  diretor numa firma de advogados. Escreve habitualmente sobre liderança e inovação em várias publicações de renome internacional.