Os 3 C da Implementação da Estratégia: Como atuar, manter o foco e garantir a execução

Os 3 C da Implementação da Estratégia: Como atuar, manter o foco e garantir a execução

Pergunte aos líderes empresariais quais são as suas áreas de foco e confirmará que a estratégia está entre as suas prioridades. Infelizmente, muitas vezes os líderes colocam toda a sua energia e recursos no formular da estratégia e despendem pouco tempo no descobrir como a podem implementar na organização.


Scott Edinger, especialista na medição de resultados empresariais, abordou a questão da implementação da estratégia e apresentou três pontos que entende serem de extrema importância para que se atinjam os objetivos propostos.

Segundo este, “as estratégias são geralmente criadas num resort bonito ou num centro de conferências, por um pequeno grupo de pessoas que foram bem alimentadas e bem tratadas ao longo do processo. (Nunca vi uma estratégia falhar na sala da direção). Infelizmente, muitos líderes falham, não na formulação, mas na sua implementação. Para executar com sucesso a estratégia da organização, esta deve ser o foco de todos os que compõem a empresa. Cabe ao líder criar, monitorizar e recompensar esse foco à medida que é expressado.”

Como é que deve atuar a necessária liderança na implementação das estratégias definidas, para que se materializem em todos os pontos da organização? Tome atenção aos 3 C da estratégia apontados por Scott Edinger e estará no caminho certo para o sucesso.

  • Clarifique a sua estratégia

“Muitas vezes, as estratégias são expressadas como afirmações de elevado nível, que são ouvidas pelo conselho e pelos executivos mas que falham redondamente ao nível pessoal médio e inferior. Infelizmente, se as pessoas não compreenderem a estratégia, não serão capazes de se ligar a ela. Assim, o primeiro passo é clarificar a sua estratégia para que as pessoas na organização se possam reunir e apoiar a sua implementação. O livro Top Managemente Strategy, de Ben Tregoe e John Zimmerman tem uma definição útil de estratégia, designada como “o quadro de trabalho que guia as escolhas que determinam a natureza e a direção de uma organização.” O mais importante é ficar longe das “conversas corporativas” ou da “burocratização” a que Herb Kelleher, co-fundador da Southwest Airlines, define como “difícil de compreender e aborrecido”.”

  • Comunique a sua estratégia

“Nunca encontrei uma organização onde ouvisse as pessoas dizerem que comunicavam demasiado ou com muita clareza. Portanto, a comunicação é o segundo C. Comunicar a essência da sua estratégia em todos os níveis da organização, utilizando múltiplos meios, é a chave. (Não espere que os posters que colocaram façam o seu trabalho). Utilize blogs internos e quadros de mensagens, almoços com marmitas, podcasts e reuniões departamento para comunicar a sua estratégia e como o trabalho de todos é a base dessa estratégia. As discussões têm que ocorrer em todos os níveis, traduzindo a estratégia da organização para sons compreensíveis e contextualizados que se ligam ao trabalho dos indivíduos. Resumindo, comunicar a estratégia dá o “tecido conector” entre toda a organização, que vem ajudar as pessoas a compreenderem a visão geral.”

  • Conecte a sua estratégia

Se estratégia é o “que” faz, então as táticas são o “como” faz. E se quer implementar bem a sua estratégia, precisa de a conectar a toda a organização e chegar às competentes práticas e táticas do dia-a-dia das pessoas que aí trabalham. Num cenário ideal, irá conseguir envolver os seus gestores no processo e estes irão ajudar a traduzir os elementos da estratégia da organização nas suas várias áreas funcionais. Fazer isto permite fazer com que estes se desenvolvam e sejam donos do processo de conectar a estratégia com toda a organização e de desenhar planos de implementação com elevada probabilidade de execução. O trabalho árduo da implementação da estratégia é feito nesta fase. As reuniões com a equipa, o coaching individual, as melhorias dos processos, as reuniões com os clientes e a reposta do mercado, alinhadas com a estratégia da organização, podem fazer uma enorme diferença para a mesma.”  

A velocidade a que se processam os negócios não mostra sinais de abrandamento e se é daqueles cuja concorrência agora ainda não o preocupa, não o será por muito mais tempo. Implementar eficazmente uma estratégia pode ser uma fonte de vantagem competitiva.

Experimente estes 3 "C" e veja se o ajudam. “Os líderes de empresas da Fortune 500 e de pequenas empresas não lucrativas têm que estar munidos da capacidade de implementar estratégias eficazmente nas suas organizações, ao mesmo tempo que leem centenas de emails, ouvem mensagens de voz e enfrentam as exigências de cada dia”, relembra Scott Edinger. “Tudo isto porque implementar uma estratégia não é trabalho adicional para um líder. Na verdade, é o seu principal trabalho.”


Fonte: Forbes


Scott Edinger é especialista em potenciar a monitorização dos resultados do negócio nas organizações. Consultor, autor e orador, é coach de executivos de algumas das mais proeminentes organizações mundiais, como a AT&T, a Harvard Business Publishing, o Bank of America, a Lenovo, a Gannett e o The Los Angeles Times. É coautor do livro “The Inspiring Leader: Unlocking the Secrets of How Extraordinary Leaders Motivate” e escreve habitualmente para a Forbes e a Harvard Business Review.